Opinião

Agosto

Agosto é por execelência um mês de férias em todo o mundo.Governos,Parlamentos, escolas, na maioria de países estão de férias, e os tribunais entraram em recesso.E tudo o resto funciona em slow motion, incluindo negócios, sendo que  os próprios relógios se recusam a ser incomodados.

Eu e a família também nos encontramos em período sábatico, e Miami é o poiso escolhido, testemunhado no voo espreguiçado das gaivotas, sobrevoando o azul marinho a deliciar-nos a vista.Se Deu fez o mundo e descansou, também os justos têm o direito de andar ao léu , como deuses menores, num mundo  cada vez mais do tamanho de uma mão.E apesar de Miami conservar os atractivos de uma mulher estremosa, sensual, sequiosa e sedenta de amor, a escolha é  aleatória,…Poderia estar na praia  do Bilene, Pemba, Palma ou Chokwé,…Mas fica para Dezembro próximo, período em que a saudade delirante abraça uma família inteira, e o fruto do caju e do canho embalam o sono dos justos.

Nem sempre podemos ler os livros que queremos,nem escutar as músicas que gostamos, ao mesmo tempo,tudo tem o seu  tempo.Todos  têm o direito de sonhar, e tratando-se  de um compromisso com a época quente,preocupamo-nos em curtir, aderindo ao lazer e descanso, muita leitura sem descurar a prática de desporto.

Neste período não gostamos de falar de volatilidade dos mercados financeiros, do preço do petróleo e outros produtos cotados na bolsa de valores,e no plan externo apesar do clima de instabilidade na Guiné- Bissau, Libia,Siria ,Iraq, Tailândia e Ucrânia, politicamente o período é morno. É o período da ondulação dos selfies com as praias como fundo do panorama, em família ou com amigos,onde se  exibem corpos morenaços, ou bronzeados, e algumas barrigas de fazer inveja ao Dlhakama ou ao primogénito dos irmãos Metralha.

Há que jogar limpo.A crise política em democracia em nenhum momento se faz à custa  de golpadas autoinduzidas, isto é com origem no umbigo.O político deve ser ético e comprometido com as regras, caso contrário é um capacho que serve a outrém ou algo muito pior.

Este é também um período de moderação e reflexão conjunta, porque apesar dos imponderáveis no tempo, somos afinal  todos filhos de Moçambique, que nos legou o nome, discernimento, o espírito de harmonia, delicadeza no trato e auto-estima.

Setembo vai chegar e com ele o cair das folhas e o período de grandes decisões, incluindo o desarme dos homens residuais da Renamo, e em Outubro eleições federais no Canadá, e as legislativas em Portugal.O mundo está nas mão de cada um, nada de delongas nem pedras  no sapato. O desenvolvimento não pode esperar.

Inácio Natividade 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo