Sociedade

Quinquagenária violada até à morte

Texto de Domingos Boaventura

Uma cidadã de aproximadamente 50 anos de idade foi encontrada sem vida numa lixeira, na manhã da última quarta-feira, na cidade de Chimoio. O corpo da vítima, ainda não identificada, foi descoberto por meninos de rua numa via próximo da estação dos caminhos-de-ferro.

Presume-se que a cidadã tenha perdido a vida depois de ser agredida e violada sexualmente por um grupo de jovens, depois de uma sessão de bebedeira. O corpo da finada apresentava-se com lesões no joelho, ranhuras nas costas e sinais de agressão na cabeça.

A nossa reportagem em Chimoio soube que meninos de rua dirigiram-se à lixeira por volta das 7 horas daquela manhã, como tem sido hábito, à procura de mantimentos e brinquedos deitados fora. Quando se fizeram ao local descobriram o corpo da mulher despida.

Timóteo Armando, de apenas doze anos de idade, um dos menores que integrava o grupo dos meninos sem “tecto”, contou que quando viu o corpo dirigiu-se a um jovem que vende recargas de telemóvel numa das ruas para informar do que terá acontecido.

O vendedor aconselhou-o a dirigir-se à 1ª Esquadra da Polícia da República de Moçambique a fim de dar a ocorrência. Explicou que todas as manhãs frequentam aquela lixeira procurando alimentos e cobertores. O corpo da anciã foi removido do local por volta das 11 e 30 minutos. A demora, segundo contaram testemunhas, deveu-se à chegada tardia dos agentes da Polícia de Investigação Criminal (PIC) destacados para o terreno. Devido a esse atraso, o corpo permaneceu toda manhã ao relento debaixo de um sol escaldante.

Crianças e adultos estiveram no local, uns para tentar identificar a vítima, outros por simples curiosidade. A Polícia da República de Moçambique, através do seu porta-voz, Belmiro Mutadiwa, afirma estar a trabalhar para neutralizar os meliantes, cujo acto chocou os munícipes de Chimoio, que nosúltimos dias tem se caracterizado pelo aumento de casos agressões físicas e violência sexual que na sua maioria resultam em mortes.

Recorde-se que um jovem de 21 anos de idade, estudante universitário, foi agredido até à morte por malfeitores dentro da sua própria residência. No mês passado, uma menor de 15 anos de idade, estudante do curso nocturno também morreu vítima de violação sexual. Estes dois casos ainda não foram esclarecidos.

Texto de Domingos Boaventura
mingoboav@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo