Política

Dhlakama deve voltar ao convívio da família moçambicana

O Presidente da República, Armando Guebuza, garantiu ontem, em Chimoio, província de Manica, que o Governo vai continuar a persuadir o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, a voltar ao convívio salutar com os demais compatriotas ao invés de continuar a enveredar pelo ostracismo e linguagem belicista, pois ele precisa de compreender que não “está com a família e a ela deve se juntar para dar o seu contributo na construção de um Moçambique melhor e próspero”.

 

Falando a jornalistas que acompanharam a sua visita à província de Manica, no âmbito da Presidência Aberta e Inclusiva, Guebuza referiu que a maioria dos moçambicanos está expectante que o líder da Renamo saia “da parte incerta” em que se encontra refugiado desde que as Forças de Defesa e Segurança atacaram a base de Santugira e participe no desenvolvimento do seu país.

Vamos todos continuar a construir a nossa sociedade enquanto convivemos com os elementos da Renamo enquanto procuramos, pela via do diálogo, encontrar uma solução pacífica para a situação que estamos a viver actualmente, provocada pelos homens armados desta mesma Renamo, referiu o PR.

Aliás, durante os vários comícios orientados pelo PR nos quatro distritos por ele visitados, a população condenou de forma veemente os ataques dos homens armados da Renamo e apelou ao governo para que procure encontrar uma solução conducente ao restabelecimento do ambiente de paz e estabilidade política.

Nos vários encontros populares que dirigiu, o chefe do Estado sublinhou que a paz é indiscutivelmente um bem comum que deve ser preservado por todas as pessoas, independentemente da sua cor política, raça, etnia ou religião.

Segundo Guebuza, cada moçambicano tem um papel preponderante na manutenção da paz e unidade nacional, pois estes são factores indispensáveis ao desenvolvimento do país.

 Em quase todos comícios Armando Guebuza sublinhou que o diálogo deve continuar a ser a principal saída para a resolução de qualquer problema que  as pessoas possam enfrentar, quer ao nível da família ou como nação, e, por essa mesma razão, “ogoverno continuará aberto ao diálogo com a Renamo porque queremos que tudo seja resolvido por via pacífica.

Quando alguém tem um problema deve se sentar e falar com os outros até encontrar uma solução. Tem de haver compreensão entre as partes para acabar com as diferenças. Quando alguém fala sozinho dificilmente vai encontrar soluções para o problema que o apoquenta. Se realmente há vontade da Renamo e seu líder em cessar com as provocações que têm estado a protagonizar, o governo sempre esteve pronto e aberto ao diálogo,disse o PR.

Para Guebuza, a paz é uma necessidade que deve estar sempre presente no quotidiano dos moçambicanos e que deve continuar a ser consolidada pois só dessa maneira é que o desenvolvimento do país vai ocorrer a um ritmo mais acelerado “e para que se reforce a paz e a unidade nacional  precisamos apostar muito no diálogo,  assumindo-o como um exercício em que se fala com os outros e não se fala apenas para o outro.

Há uma mensagem que gostaria que os moçambicanos não se esquecessem. Devemos continuar a reforçar a unidade nacional, como moçambicanos, encarar as nossas tribos, raças, tradições, canções, religiões e considerar isso tudo como factores para o desenvolvimento. A unidade é algo que foi importante ontem, é importante hoje, e o será amanhã e sempre. Uma nação para poder sobreviver e vencer tem de estar unida, frisou o PR.

População enaltece governação de Guebuza

Em quase todos comícios populares a população enalteceu nas suas mensagens os feitos do Presidente  Armando Guebuza e apontou os progressos registados durante os quase dez anos da sua governação.

A título de exemplo, a população referiu-se à construção de mais unidades sanitárias, expansão da rede escolar, reabilitação e asfaltagem de vias de acesso, edificação de pontes, abertura de mais fontes de abastecimento de água e alocação de Fundo de Desenvolvimento Distrital, vulgo “Sete Milhões”.

No comício realizado na vila de Catandica, sede do distrito de Báruè, Alberto Chicuature, apontou como exemplo visível e fresco o facto de o Posto Administrativo de Nhampassa já ter uma escola secundária construída de raiz, o que fez com que centenas de alunos deixassem de percorrer longas distâncias à procura de um estabelecimento de ensino secundário. Num passado muito recente, todas crianças que terminavam a 7ª classe eram movimentadas para o distrito de Guro.

Estamos satisfeitos porque durante os dez anos do seu mandato notámos grandes avanços. Os “sete milhões” trouxeram muitas mudanças nas nossas vidas. Muitas pessoas já têm emprego e o processo de produção de comida e geração de renda está transformar para melhor a vida de muitas famílias. Esperamos que o próximo presidente continue com essas e outras obras visando desenvolver o nosso país.

Ainda no distrito de Mossurize, a população também reconheceu os feitos  de Armando Guebuza, tendo destacado a asfaltagem da Estrada Nacional número 260, que liga Chimoio-Sussundega-Espungabera,  bem como outras infra- estruturas sociais.

José Sixpence e Domingos Boaventura, a partir de Chimoio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo