Nacional

Maputo reforça protecção da orla marítima

A orla marítima da cidade de Maputo, com uma extensão de 14 quilómetros, está a beneficiar de obras de restauração desde o início do corrente ano, com vista a melhorar a protecção costeira,

 num investimento orçado em pouco mais de 21 milhões de dólares.

Segundo informações apuradas pelo nosso jornal, o processo de preparação para o arranque físico da empreitada já foi concluído, prevendo-se que até ao final de Abril corrente as obras estejam em estado avançado.

A cargo do consórcio MCA/RME, as obras vão se estender entre o paredão frontal do quartel da Marinha de Guerra de Moçambique e o mercado do Bairro dos Pescadores.

Está igualmente prevista a reabilitação dos actuais esporões (estrutura de betão que serve para amortecer o impacto das águas do mar), bem como a construção de mais nove, entre a zona da “Miramar” e da Costa do Sol.

Ainda no que diz respeito à área atrás referida, está projectado recarregamento de solos de grande espessura junto da margem da praia, uma vez que a força dos ventos provocou o deslizamento de terras que se transformaram em dunas.

Quanto aos paredões, sobretudo entre a ponte-cais e o Restaurante “Water Front”, decorrem trabalhos de diagnóstico para determinação do grau de fissuras para avaliação do nível da reabilitação.

Sabe-se que a erosão que foi tomando conta dos solos da orla marítima tem vindo a afectar a estabilidade das terras, facto que pode ser visível através da degradação do piso em grande parte da Avenida da Marginal.

Segundo indicações técnicas, caso não se fizesse uma intervenção visando a melhoraria da protecção da orla marítima, a Avenida da Marginal e outras infra-estruturas corriam o risco de desaparecer.

Refira-se que devido à degradação acentuada que se está a verificar entre a Ponte da Costa do Sol e o Mercado do Bairro dos Pescadores, está prevista a construção de raiz de um muro de protecção.

Este projecto de reabilitação deverá se estender ao longo de 20 meses, tendo a respectiva adjudicação ocorrido em Dezembro do ano passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo