Nacional

Governo investe 5.3 milhões de Euros no “centro distribuidor”

O Governo de Moçambique e a Agência Francesa para o Desenvolvimento (AFD) estão a investir cerca de 5.3 milhões de Euros, na construção do Centro Distribuidor de Intaka que vai servir, na Cidade e Província de Maputo, os bairros de Zimpeto, Khongolote, Boquisso, Mali, Cumbeza, Agostinho, Muhalaze, 1º de Maio, Matlhemele, Golhosa e Mucatine.

As obras vão consistir na construção de dois depósitos de cinco mil metros cúbicos cada, uma torre elevada para 250 metros cúbicos, rede de distribuição e todo sistema para um centro distribuidor.

Segundo o Primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, a obra faz parte das promessas feitas durante o processo da campanha, eleições e consta no Plano Quinquenal aprovado, semana finda, pela Assembleia da República. “A nossa prioridade número um é que Moçambique tem que continuar a viver em paz, não queremos guerra porque não constrói. Todos nós temos que fazer de tudo para que a guerra não volte, temos que trabalhar juntos para que os moçambicanos estejam unidos. Não queremos um país dividido. Que o moçambicano que vive no Intaka peça um passaporte com visto para ir a Inhambane. Queremos um Moçambique unido, em paz e harmonioso”.

Outra prioridade, segundo Agostinho do Rosário, é que a população tenha bem-estar. Melhore cada vez mais as suas vidas, que significa ter comida de qualidade, boa água, escola, hospital com medicamentos, habitação condigna, emprego digno, entre outros.

Tudo isso faz com que o homem melhore a sua condição de vida e, quiçá, a sua qualidade de vida. Testemunhamos uma das condições necessárias para tal que é abastecer as populações com água potável a preços baixos e de boa qualidade. A energia também é fundamental para que o sistema de água funcione, por isso fará parte de todo esse exercício”, concluiu.

Por seu turno, o Presidente do Conselho Municipal da Matola, Calisto Cossa, disse que aquela iniciativa está integrada no projecto de reabilitação e expansão do sistema de abastecimento de água de Maputo, Matola e Boane, e constitui uma das etapas deste processo iniciado com a reabilitação do Umbeluzi, na província de Maputo, pelo Município da Matola, com a edificação do Centro Distribuidor de Água de Tsalala, no posto administrativo da Machava.

Esta infra-estrutura constitui um investimento do governo central e vai permitir o abastecimento de água da Rede Nacional para diversos bairros, abarcando só no Município da Matola mais de 50 mil habitantes. A nós cabe garantir a sua correcta implementação e conservação, pois foi feita para o nosso benefício”.

Para o edil da Matola, a edificação daquele centro distribuidor significará, entre outros, a melhoria do saneamento urbano, redução das distâncias para a obtenção da água e, sobretudo, a aproximação da água barata e de qualidade para os munícipes daquela urbe.

Entretanto, Laurent Fabius, embaixador da França em Moçambique, garantiu que as obras fazem parte do projecto de melhoramento do sistema de abastecimento de água potável de Maputo e Matola, que está a ser implementado pelo FIPAG. “Até agora permitiu duplicar a capacidade de distribuição de água potável para as duas cidades e atingir uma taxa de acesso de mais de 70 por cento”.

O projecto começou a ser implementado em 2012 com apoio financeiro de mais de 40 milhões de euros da Agência Francesa de Desenvolvimento. Tem cinco objectivos, estando actualmente na quinta etapa que passa pela criação de novos centros de distribuição.

Uma vez concluído, mais pessoas vão beneficiar de água potável com acesso durante 24 horas por dia. Estou particularmente orgulhoso como investidor da França. A cooperação francesa pôs-se acompanhar o país neste empreendimento tão indispensável para o bem-estar e para o desenvolvimento da população de Maputo”, disse.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo