Em Foco

Tranquilidade e civismo como notas dominantes

Os números provisórios dão, na província de Inhambane, uma clara vantagem da Freimo e do seu candidato Filipe Nyusi seguido pela Renamo e Afonso Dhlakama enquanto Devis Simango e o MDM seguem na terceira posição.

Mais de metade dos 598.276 eleitores inscritos na província de Inhambane, marcaram presença nas respectivas assembleias e participaram activamente para a escolha do futuro presidente da república, dos 250 deputados e dos membros das assembleias provinciais.

Nas 1061 mesas distribuídas pelos distritos da província, exceptuando um e outro caso, as mesas abriram pontualmente as 07:00 e os eleitores, de forma organizada, fizeram-se às urnas. Há a registar que algumas pessoas, receando filas enormes, literalmente dormiram nas respectivas assembleias, porquanto, a título de exemplo, já pelas 3:00 horas da madrugada de dia 15, na escola III Congresso na Cidade de Inhambane, havia pequenos grupos de eleitores aguardando pela hora de abertura das assembleias. O cenário repetiu-se um pouco por toda a cidade. 

A celeridade do processo e o ambiente de tranquilidade que reinou, um pouco por toda a província, fez com que algumas mesas tivessem ficado literalmente “secas” aguardando apenas pela hora oficial do encerramento das urnas; é que o grosso fê-lo às primeiras horas.

Entretanto, a par dos que está a acontecer um pouco por todo o país, em Inhambane também decorre o processo provincial de apuramento parcial e provisório dos votos depositados pelos eleitores a medida que vão chegando ao STAE provincial.

As projecções “paralelas” indicam que a Frelimo irá eleger 12 deputados à Assembleia da República, Renamo 2 e MDM 1 deputado. No que diz respeito à Assembleia Provincial, a Frelimo poderá ocupar 68 lugares enquanto a Renamo ficará com 10 e o MDM com 2 lugares.

Num balanço prévio, Rosa Macause, Directora provincial do Secretariado Técnico da administração Eleitoral (STAE), disse que a confirmar-se a votação de mais de metade dos eleitores inscritos, tal significará uma subida do nível de participação dos cidadãos dado que no último pleito eleitoral geral e para as assembleias provinciais a participação rondou a casa dos 44 por cento.

Inhambane registou 30 mesas que encerraram depois das 18 horas (hora oficial do encerramento das urnas) e também a ausência de algumas actas originais, falha entretanto colmatada com recurso às respectivas cópias. Segundo apuramos, o facto resultou de algum excesso de zelo por parte de alguns responsáveis pelas mesas que, no lugar das cópias, entregaram alguns originais aos representantes dos partidos políticos.

Rosa Macause, noutro desenvolvimento, disse que o processo de votação correu de forma tranquila e ordeira em todas as 1061 mesas de assembleia de voto e saudou, de forma particular, os eleitores que “de forma disciplinada e ordeira foram às urnas escolher os futuros dirigentes do nosso país”.

Agostinho Trinta, Governador de Inhambane, disse ao “domingo” que o processo eleitoral decorreu de forma pacífica: “desde o período de campanha eleitoral que a população da nossa província tem pautado por um comportamento exemplar e de elevada urbanidade”.

O sentimento que tenho e, felizmente, partilhado por muitos membros do Governo, do STAE e pelos eleitores é de que, independentemente das opções partidárias, soubemos dar um belo exemplo de irmandade. Agora só nos resta esperar que os órgãos competentes anunciem os resultados finais para gáudio dos vencedores e, esperemos, uma atitude madura por parte dos que não tiverem a sorte de ganhar”, disse o timoneiro da província de Inhambane.

Agostinho Trinta votou as 7:00 horas na Escola III Congresso marcando oficialmente o inicio da votação na chamada Terra da Boa Gente. Na mesma mesa votaram outras figuras proeminentes, a exemplo do Presidente do Município daquela cidade, Benedito Guimino.

Cerca de 100 jornalistas e 422 observadores nacionais e estrangeiros e delegados políticos foram acreditados para acompanhar as eleições na província de Inhambane.   

Segundo o STAE – Secretariado Técnico da Administração Eleitoral – Inhambane inscreveu em Massinga, o maior círculo eleitoral daquela província, 92.448 eleitores; a cidade capital Inhambane registou 42.868 eleitores. Mabote tem 21.067; Govuro conta com 16.580 eleitores e Panda registou 18.553 eleitores; Maxixe 60.761; Zavala inscreveu 57.576 eleitores; o distrito de Inharrime registou 42.039 eleitores; jangamo conta com 37.677 eleitores enquanto Funhalouro tem 17.823 eleitores. Vilankulo registou 68.819 eleitores e Inhassouro conta com 23.683 eleitores. Homoine tem 44.186 eleitores e Morrumbene 54.192.

O processo foi acompanhado 2077 delegados de candidatura da Frelimo, número que corresponde a 100 porcento de cobertura; A Renamo alistou 1170 delegados correspondentes a 82 porcento de cobertura enquanto o MDM registou 932 correspondendo a 61 por cento de cobertura.

No que diz respeito à ordem e segurança publicas, o comandante provincial da PRM, Raul Ossufo Omar, disse que “a polícia, na província de Inhambane, garantiu segurança plena e integral de actividades da campanha eleitoral de todos os partidos e actores políticos, não se tendo registado casos de violência, salvo pequenos delitos eleitorais como sobreposição de cartazes e remoção de bandeiras.”

O comandante garantiu que “todos estes casos, foram autuados e os processos foram remetidos ao Ministério Público para os devidos efeitos legais convenientes”.

No que diz respeito ao dia da votação, também não foram registados casos dignos de nota em toda a província de Inhambane.

Belmiro Adamugy em Inhambane

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo