Em Foco

Incumprimento de horários origina escaramuças em Gaza

Afinal o incumprimento do horário do roteiro que o Movimento Democrático de Moçambique (MDM) forneceu à Policia da República de Moçambique (PRM) esteve na génese das escaramuças registadas semana passada, em Bilene e Chókwé, na província de Gaza, pois a caravana do “galo”, acompanhando Daviz Simango acabou passando fora do tempo que tinha estabelecido, provocando cruzamento com as da Frelimo.

Segundo apurámos, Davis Simango e sua comitiva informaram a PRM que às 10 horas da manhã da última terça-feira entrariam na vila municipal da Macia, distrito de Bilene, via Incoluane, vindo de Maputo, em direcção a Chókwé, onde orientaria um comício por volta das 12 horas.

Previa-se que Daviz Simango retornasse a Macia pelas 15 horas para também orientar um comício popular, para depois pernoitar em Xai-Xai, capital provincial de Gaza. Contudo, não foi isso o que aconteceu. O candidato do MDM só entrou na Macia às 16.30 horas e a PRM que tinha ficado à espera da comitiva todo o dia reprogramou-se para outras actividades.

Quando Daviz Simango e comitiva deixaram a Estrada Nacional Número 1 (EN1), curvando para Chókwé, colidiram com uma caravana da Frelimo e foi quando as escaramuças se desencadearam. Só estavam no local dois agentes da polícia, número insuficiente para o nível dos desmandos que se desencadearam.

Os confrontos danificaram pára-brisas, farolins e retrovisores de três carros, dois dos quais de simpatizantes da Frelimo e um dum simpatizante do MDM. Também ficaram feridos dois simpatizantes da Frelimo e soaram cerca de seis tiros duma AKM e pistola que, num trabalho posterior, feito pela polícia à entrada de Xai-Xai apurou-se que eram dos ajudantes de campo de Davis Simango.

Depois dos confrontos, Simango e comitiva seguiram viagem e, por volta das 17.20 horaS voltaram a colidir com outra caravana da Frelimo já na entrada da cidade de Chókwé, cujos confrontos resultaram na vandalização de quatro viaturas e no ferimento de dez indivíduos.

Graças à intervenção da Polícia, evitou-se o pior e o candidato do MDM conseguiu fazer a sua campanha em Chókwé. Novamente, Daviz Simango e comitiva retomaram a estrada e rumaram para a cidade de Xai-Xai onde chegaram por volta das 19 horas e 50 minutos. Tiveram de parar algum tempo à entrada de Xai-Xai porque a Policia teve de investigar a origem dos tiros que soaram na Macia.

Este trabalho durou cerca de uma hora, porque os ajudantes de campo de Daviz Simango não quiseram imediatamente colaborar com a Polícia. Depois disso, comitiva do MDM foi escoltada pela polícia até ao seu local de acomodação que foi protegido durante toda a noite.

No dia seguinte, o candidato MDM reuniu-se na sua sede com os seus quadros e depois foi para o distrito de Chibuto, onde chegou por volta das doze horas. Em Chibuto, mais uma vez, houve colisão com uma comitiva da Frelimo que se saldou em oito feridos, incluindo um agente da Polícia.

A Frelimo já apresentou queixas em relação aos desmandos verificados em Gaza, concretamente na Macia e Chókwé, onde os seus membros foram foram violentados por membros da comitiva de Daviz Simango.

O que preocupa a PRM em Gaza é a falta de colaboração dos partidos MDM e Renamo que não fornecem os seus programas diários de campanha eleitoral e saiam desprotegidas para a rua.

Jeremias Langa, porta-voz do comando da Polícia da República de Moçambique em Gaza, diz que todos os dias a Policia se faz às sedes da Renamo e MDM em busca de programas diários de campanha, “mas é tudo em vão”.

Segundo a fonte, mesmo em relação à recente presença do secretário-geral do MDM, Luís Boavida, que culminou com escaramuças no povoado de Nhocuene, posto administrativo de Chonguene, distrito de Xai-Xai, a polícia diz não ter sido comunicada.

Soubemos que, muito recentemente, o comandante provincial da PRM em Gaza reuniu-se com os líderes das principais forças políticas concorrentes em Gaza, solicitando a sua colaboração no processo.

CAMPANHA PROSSEGUE

Enquanto isso, a Frelimo prossegue normalmente com a sua campanha em todos os níveis, ou seja, desde a província, distritos, postos administrativos e localidades. Alberto Vaquina, membro da Comissão Política da Frelimo, que assiste Gaza, reforçou a campanha no distrito de Bilene, fazendo campanha de porta-a-porta nos mercados locais.

Vaquina também orientou um comício popular no posto administrativo de Chissano, também no distrito de Bilene. Margarida Mapandzene, da brigada provincial da Frelimo também trabalhou em Bilene, prometendo que com a vitória do seu partido e Filipe Nyusi vai-se continuar a renovar o sector agrário.

Artur Saúde, em Xai-Xai

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo