Em Foco

Campanha ao rubro no Niassa

Os principais partidos políticos intensificaram a sua caça ao voto no Niassa, diversificando as suas estratégicas, numa altura em que o candidato presidencial da Renamo, escalou este ponto do país.

 Com efeito, durante a semana finda, a Frelimo continuou a sua “caça ao voto” em todos os distritos da província de Niassa. Assim, o primeiro secretário do Comité Provincial da Frelimo e chefe do gabinete provincial eleitoral, Cornélio Laisse, esteve a trabalhar no distrito de Muembe, onde, em comícios populares, pediu à população local para votar na Frelimo e no seu candidato Filipe Jacinto Nyusi, prometendo, caso seja eleito, continuar a política de descentralização de fundos para as zonas onde a pobreza é mais notória.

Para Laisse, votar na Frelimo é levantar pilares fortes para que o seu candidato possa edificar um país sólido e desenvolvido, onde todas as pessoas se sintam orgulhosas de fazerem parte de um país de heróis.

Em resposta, a população de Muembe garantiu votar na Frelimo e em Filipe Jacinto Nyusi, sustentando-se nas grandes realizações que são visíveis em todos os cantos de Moçambique, nomeadamente a expansão das redes viárias, escolar, sanitária, comunicações, combate à pobreza, entre outros feitos.

Por sua vez, o vice-chefe do gabinete eleitoral provincial, o membro do comité central da Frelimo, David Ngoane Malizane, foi a Mecula pedir voto a um eleitoral muito especial. Mecula é um dos seis distritos da província de Niassa que está no coração da Reserva Nacional de Niassa, sendo que a sua população é muito inferior em relação ao universo de elefantes, neste momento a ser alvo de uma caça furtiva desenfreada, praticada preferencialmente por estrangeiros com a conivência de alguns populares locais.

Refira-se que Mecula é um distrito onde a Frelimo “passeia” a sua classe sozinha, não obstante o Movimento Democrático de Moçambique ter se apresentado nos primeiros dias da campanha, o qual viria a desaparecer da circulação com o andar do tempo, resultado, diga-se, da pujança do partido do “tambor e da maçaroca”.

Interagindo com o eleitorado de Mecula, David Malizane recebeu a garantia de voto e ele prometeu a continuidade dos projectos iniciados no âmbito do combate da pobreza, resolução do conflito entre o homem e a fauna bravia, que vitima seres humanos e impede que as populações possam produzir com sucesso e possuir reservas alimentares, garantindo desta feita a segurança alimentar durante todo o período do ano.

Por sua vez, e como que a desafiar a claque da perdiz, a força feminina da Frelimo organizou-se na passada quinta-feira e “atacou” as ruas da cidade de Lichinga, numa marcha que foi desembocar na sede do Comité Provincial do seu partido, com cânticos e danças tradicionais.

André Jonas

andremuhomua@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo