Desporto

Estou a afastar os jovens das drogas

Quem não se lembra de Chico João? Seu nome completo é José Manuel Chico João. Sua aparição no futebol foi apadrinhada pelo Indo Português, que passou a ser Centro Popular que deu origem ao Estrela Vermelha de Maputo, em 1970.

Fez todos escalões nos “alaranjados”. Mudou-se para o Desportivo de Maputo em 1982. Depois rumou legalmente para Suazilândia à procura de melhores condições. Lá primeiro foi jogador e depois treinador do Manzini Sundowns e treinador – jogador no Rovers. Era lateral direito. Cá já treinava os mais novos. É natural da Zambézia.

Chico João, vamos começar com uma simples pergunta:quando esteve a jogar na Suazilândia tinha fugido de Moçambique?

 Fui para lá legalmente. Não saltei o muro. Vinha para o país quando quisesse.

Tem alguma ligação com o Estrela Vermelha de agora?

Para mim Estrela Vermelha de Maputo é minha casa. Encontrei no Estrela colegas que até hoje me respeitam. Fui o primeiro capitão do Estrela Vermelha. Fui o primeiro treinador a levar o Estrela Vermelha ao campeonato nacional (Moçambola), quando sai do CETA. Ainda tenho muita ligação com o Estrela Vermelha. É o clube do meu coração. E já fui treinador adjunto da selecção sub 20.

Treinou em mais clubes?

Treinei Águias Especiais, Estrela Vermelha de Gaza, Clube de Massingir, Benfica de Nampula e Clube de Gaza, aqui em 2012. No ano passado não trabalhei em nenhum clube. Vim para aqui onde sou coordenador de desporto e cultura da OJM ao nível de Chidenguele.

O que é isso?

Estou a formar um clube de jovens com equipas feminina e masculina. 

Qual é a finalidade?

É de ocupação de jovens. Tirá-los das drogas e da bebedeira.

De quem é a iniciativa?

É minha.

Como se chamará o clube?

Chama-se Nhambavane Futebol Clube. Dei este nome como forma de projectar a nossa lagoa que acolheu as provas de canoagem dos Jogos Africanos.

Tem alguma meta a atingir?

A finalidade é chegar muito longe. Este ano participamos no campeonato de segunda divisão de Gaza.

Onde arranja dinheiro para o clube?

Vou batendo portas. Temos algumas pessoas que nos ajudam, como são os casos do casal Aldo e Carménia, Chico Mora, senhor Satsa, Maria Inês.

Vai-se aguentar no campeonato da segunda divisão?

Vamos para o campeonato de dez equipas. Nós vamos sofrer porque não temos campo. Vamos fazer jogos em Xai-Xai.

Enquanto Chidenguele tem campo relvado e vedado!?

Neste momento não estamos autorizados a utilizar o campo do Clube de Chidenguele. Não insista nisso. O que posso-lhe avançar é de que vamos enfrentar dificuldades de deslocação. Espero que alguém nos apoie. Eu tenho muita vontade em promover o desporto, mas não tenho condições. É uma batalha que com luta vou vencer.

A quem deseja pedir ajuda através do nosso jornal?

Que o Ministério da Juventude e Desportos nos prestasse apoio, assim como singulares. Vou marcar encontros com a comunidade e com as instâncias turísticas para encontrar saída de apoio ao desporto.

Está a gostar da vivência desportiva?

Vou morrer no futebol com a bandeira do meu clube, que é o Estrela Vermelha.

Quantos anos de idade têm?

Cinquenta e quatro anos. Aos dez anos já era jogador federado. Fui muito utilizado no futebol.

Ganhou muito dinheiro?

Ganhei nome. Dinheiro quase nada. Vou morrer a lutar, a lutar…Fiz muito para o desporto. Precisaria de uma semana para contar a trajectória no desporto. Quero dar mais ao desporto, mas não tenho como ter espaço.

Era suposto que estivesse no Clube de Chidenguele!

Não quero falar disso. Não. Não quero. Onde estou satisfaço a minha vontade, entanto que desportista.

Como vai o desporto na província de Gaza?

Está num bom caminho. Este ano há sinais de boa organização.

E no país?

Eu estou mais virado para este desporto de base.

Subimos ou descemos?

Estamos no meio.

Que acha do dirigismo desportivo nacional?

Penso que está no bom caminho, com pequenos problemas.

Nada a emendar?

Chega. Já disse tudo. Um dia voltaremos a falar e com mais tempo. Agora só penso em onde arranjar ajudas para fazer crescer o meu clube, que, afinal, é de todos nós de Chidenguele.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo