Sociedade

Reabertas consultas de Otorrinolaringologia

Doentes já podem fazer consultas nos departamentos de Estomatologia e Otorrinolaringologia, do Hospital Central de Maputo (HCM), encerrados durante três anos para reabilitação. Reabertos com novos serviços e tecnologia de ponta, estão doravante em condições de responder à demanda por serviços que antes não existiam.

domingo visitou os departamentos e apurou que muita coisa mudou. Ambos contam, presentemente, com serviços antes realizados em clínicas privadas e até fora do país.

“Com os novos equipamentos nos tornamos um hospital com melhores serviços de otorrinolaringologia a nível nacional. As máquinas que possuímos são de alta tecnologia e isso faz com que qualquer cidadão tenha acesso a serviços e diagnósticos credíveis”, afirmou Pedro Machava, chefe do Departamento de Otorrinolaringologia no Hospital Central de Maputo (HCM).

Os dois sectores se encontram no mesmo bloco. Do lado esquerdo está a Estomatologia e do direito a Otorrinolaringologia. Bem no centro do amplo corredor está o novo guiché, onde, para além da marcação das consultas, estão podem ser guardados processos clínicos dos dois departamentos.

A nossa Reportagem fez-se ao local para conferir de perto a nova imagem. Naquela manhã o corredor estava lotado de doentes de quase todas as faixas etárias. Uns sozinhos, outros acompanhados pelos parentes. Hoje, segundo nos foi dado a conhecer, a espera é menos sacrificada. Pelo corredor estão perfiladas novas cadeiras de alumínio para acomodar os doentes enquanto esperam pela sua vez de entrar no gabinete médico para consulta.

Reabilitada apenas com fundo institucional, a secção de Otorrinolaringologia contava anteriormente com apenas três gabinetes de atendimento nomeadamente, a sala de urgência e mais dois gabinetes de consultas.

Foram acrescidos mais cinco gabinetes todos com paredes revestidas de material isolante e apetrechados com equipamento de tecnologia de ponta.

O gabinete de urgências de Otorrinolaringologia possui uma máquina nova. Trata-se de um otomicroscópio que serve para visualização interna mais detalhada do ouvido.

Conta igualmente com um telelaringoscópio, máquina que serve para visualização das cordas vocais.

NOVOS SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS

De acordo com Pedro Machava, o sector de pequena cirurgia possui duas salas revestidas de equipamento novo. Numa delas está disponível a Videobroncospia, máquina cuja função é visualizar qualquer lesão brônquica.

“Este aparelho permite-nos visualizar e proceder a lavagem dos brônquios. Para tal introduzimos através da boca o broncoscópio flexível e fazemos a lavagem e colecta para identificação do tipo de patologia que causou a infecção. Isto para analisar se o paciente tem tuberculose, pneomonia ou mesmo cancro do pulmão”, explicou.

Ao lado desta sala se encontra a de incisão e drenagem de abcessos que também faz parte do sector de pequena cirurgia.

O potencial de talos é dos que ainda está a ser preparado em termos de montagem de equipamentos novos. De acordo com chefe do departamento, é naquela sala que se vai fazer a testagem da audição dos recém-nascidos. “Este serviço é importante para o hospital. Ele nos vai permitir detectar cedo e tratar problemas de audição nas crianças”, disse.

Explicou que por falta deste equipamento, a deficiência de audição nas crianças só era detectada mais tarde, depois de alguns anos, o que comprometia o sucesso no tratamento.

As salas de docência são outra novidade neste departamento. Estudantes de Medicina, e que se encontram a especializar em diferentes áreas de estomatologia e otorrinolaringologia, aproveitam-nas e fazem, com os seus docentes, os seus “estudos de casos”. São três salas, nomeadamente a de estudos de estomatologia, otorrino e de maxilo-facial.

A sala de enfermagem é também nova. O departamento conta hoje com quatro enfermeiras que auxiliam o trabalho médico.

A fonologia é outro sector que antes não existia. Este se dedica a terapia de fala. A repartição conta com apenas uma médica especialista.

A sala de testagem de audição está completamente mudada. As paredes estão totalmente revestidas de novos isoladores de som que permitem fazer um diagnóstico eficaz.

Doenças respiratórias

mais frequentes

Pedro Machava revela há maior frequência de doenças respiratórias. “Nas crianças temos muita procura pelo tratamento de amigdalites. Nos adultos há casos consideráveis de faringites,otites, cenosites, entre outras doenças respiratórias”, afirma Machava.

Para o atendimento, o sector conta actualmente com seis médicos especialistas (dos quais dois estrangeiros e quatro nacionais), uma médica especialista em terapia de fala e dois técnicos em audiologia.

Mais de 10 milhões de meticais

Para aquisição de equipamentos

Para além da reabilitação da sua infra-estrutura, o Departamento de Estomatologia do HCM também foi apetrechado com novos equipamentos de trabalho, os quais foram custeados com Orçamento do Estado. De acordo com a direcçao daquela unidade, o equipamento de ponta que lá existe está orçado em 10.738.461 meticais.

O Departamento de Estomatologia contava antes com apenas 8 cadeiras de serviço e um aparelho de raio X.

“Com a nova aquisição, o sector conta agora com 13 cadeiras dentárias, e mais dois aparelhos de raio X”,explicou Raquel Uanemédica, coordenadora dos serviços de Estomatologia.

Anteriormente, a Estomatologia prestava apenas serviços de estomatologia geral, colocação de prótese dentária e cirurgia maxilo-facial.

Hoje por hoje a unidade conta com serviços de ortodontia (correção dentária, colocação de prótese dentária),odontopediatria e novas técnicas de prótese dentária. Tudo  a preço simbólico.

Com 13 gabinetes, o sector conta igualmente com mais especialistas de diferentes áreas.

Na área maxilo-facial o sector conta com 4 médicos, dos quais três nacionais e um médico estrangeiro; dois odontopediátras e dois especialistas nacionais de prótese dentária.

A secção de ortodontia possui dois médicos. O sector conta actualmente com três médicos generalistas. De acordo com Raquel Uane, a consulta mais solicitada no momento é a de prótese dentária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo