Opinião

Chega de partidos “no papel”

Afinal a propalada existência ou registo de novas designações políticas, nomeadamente, RENAM – Democrática, encabeçada por Vintano Singano, dissidente da Renamo, e Coligação Afonso Dhlakama, liderada por Yacub Sibindy, presidente do Partido Independente de Moçambique (PIMO), não passou da reserva do nome.

Semana finda, a Conservatória dos Registos Centrais veio a terreiro esclarecer que as certidões emitidas a favor daqueles dois movimentos não constituem registo ou legalização dos mesmos e muito menos conferem a titularidade de partidos políticos. Leia mais…

TEXTO DE DOMINGOS NHAÚLE

domingos.nhaule@snoticicas.co.mz

Artigos Relacionados

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo