Nacional

Empresas ferroviárias querem aumentar volume de carga manuseada

A Southern African Railways Association (SARA) pretende aumentar o volume de   

carga manuseada no sector ferroviário da SADC, para além de melhorar a eficiência das suas operações, reabilitar e garantira manutenção das infra-estruturas e equipamentos. O desafio foi lançado no final da 3ª Conferência Internacional daquele organismo realizada semana finda em Maputo, na qual participaram gestores de empresas ferroviárias e parceiros económicos. 

Empresas do ramo ferroviário dos países da África Austral querem recuperar, a breve trecho, uma fatia considerável da carga que actualmente é transportada por via rodoviária, mesmo considerando que os transportadores rodoviários são parceiros que complementam as actividades ferro-portuárias.

Este desafio foi lançado no decurso da 3ª Conferência Internacional daquele organismo realizada de 6 a 8 do mês em curso, na cidade de Maputo sob o lema “A promoção de uma perfeita Integração dos Serviços de transportes Ferroviários e Portuários da África Austral”.

Intervindo na ocasião, a vice-Ministra dos Transportes e Comunicação, Manuela Ribeiro, destacou o facto de os CFM terem alcançado um desempenho positivo no exercício económico 2011, em vários domínios, no incremento do volume de mercadorias de tráfego ferroviário e portuário, na facturação e cobrança de receitas e na concretização de investimentos que permitirão viabilizar o plano estratégico da empresa.

No que tange a SARA, Manuela Rebelo destacou o objectivo principal da organização que é de promover os interesses comerciais das Empresas Ferroviárias dos países da Região Austral e, por isso, o terceiro encontro visava concertar a actuação das empresas na promoção de uma perfeita integração dos serviços.

“Como órgão da SADC, as actividades da SARA são orientados pelo Protocolo Regional da área dos Transportes, Comunicação e Meteorologia que só serão alcançados caso haja uma efectiva colaboração entre os membros”, frisou Rebelo.

Acrescentou que a escolha do tema revelou-se pertinente na medida em que todos estão cientes de que o sistema de transporte ferroviário é parte integrante de uma grande cadeia logística e que pode muito bem contribuir para a promoção da competitividade regional, factor que deve concorrer para a melhoria dos padrões de vida dos cidadãos da SADC.

O transporte ferroviário é referido como sendo relativamente mais barato quando comparado aos outros tipos, para além de permitir uma ligação directa entre industrias e portos marítimos.

O PCA dos CFM e presidente em exercício da Southern African Railways Association (SARA), Rosário Mualeia, disse que embora se registem melhorias no desempenho das empresas ferroviárias a nível da África Austral, persiste o desafio de recuperar a carga ferroviária que actualmente é transportada por via rodoviária.

Sublinhou também a importância de continuar-se com os investimentos na área de formação profissional e especializada, maximização do uso de infra-estruturas existentes nos diversos países da região para a melhoria do desempenho das empresas ferroviárias.     

Durante a conferência variados temas foram discutidos, como a questão da formação das empresas no concernente a promoção de uma perfeita integraçãodos portos e das linhas férreas, os processos logístico-administrativos do transporte de mercadorias e de passageiros a nível regional.

A partilha de dificuldades e sucessos de cada empresa permitirá o aperfeiçoamento das actividades contribuindo para o desenvolvimento e integração regional, defende Mualeia para quem“as discussões corresponderam às expectativas relativamente ao tema central proposto para conferência”. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo