Internacional

“Nunca diga nunca” – de apolítico a potencial candidato presidencial

Sérgio Moro, antigo juiz que foi “carrasco” de Lula da Silva e do Partido Trabalhista no Brasil nas eleições de 2018, continua a quebrar a promessa de nunca se meter na política. Na semana passada, Moro foi confirmado como membro de um partido político, o Podemos, facto que imediatamente lançou rumores de que ele pretende candidatar-se a presidente nas eleições de 2022. Com o anúncio de filiação a um partido político, Moro quebra, mais uma vez, a promessa de manter-se apolítico e confirma que, na verdade, ele “esteve sempre na política e que é um homem da política”. O percurso de Moro pode ser enquadrado perfeitamente na máxima de que “nunca se deve dizer nunca”.

Foi em 2016 que Moro fez a promessa de ser apolítico. O então juiz disse, em Novembro daquele ano, que “jamais entraria para a política. (…) Não sou um homem da política. Este pronunciamento foi feito na primeira entrevista oficial que Moro fez após o início da Operação Lava Jato, um conjunto de investigações realizadas pela Polícia Federal do Brasil visando identificar os responsáveis e desmantelar um esquema de lavagem de dinheiro que movimentou biliões de reais. Os resultados da operação terão mergulhado o Brasil numa crise política e económica sem precedentes, sendo um dos seus momentos mais marcantes a condenação e prisão do antigo presidente, do Partido Trabalhista, Luís Inácio Lula da Silva. Leia mais…

Por Edson Muirazeque *
edson.muirazeque@gmail.com

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo