Em Foco

Bancos centrais da SADC discutem projectos comuns

O Banco de Moçambique (BM) completa, hoje, 40 anos da sua fundação, e, no próximo dia 16 de Junho, celebra o 35º aniversário da criação do Metical. 

Sob o lema da efeméride, reuniu-se ontem em Maputo, o Comité de Governadores dos Bancos Centrais da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC) para passar em revista os principais projectos concretos visando a integração regional.

O Governador do BM, Ernesto Gove, disse que a reunião com osGovernadores dos Bancos Centrais da SADC visava discutir aspectos muito importantes da região. “Este comité é dinâmico e tem podido apresentar projectos concretos visando a integração regional”.

Domingoapurou que aquele comité lutou para a elaboração de um projecto de lei modelo para os bancos centrais, a partir da qual todos os bancos centrais da região tiraram os aspectos fundamentais para que possam ser comparados, de modo a  se falar a mesma língua.

“O sistema de pagamentos que é um instrumento importante para facilitar as transacções na região tem sido um objectivo muito importante em que os países da SADC, gradualmente, vão criando condições para que tenhamos essa plataforma a nível regional, que facilita as transacções e facilite o investimento dentro da nossa região”, sublinhou Gove.

Para tal, a nível de cada país da região tem-se desenvolvido sistemas nacionais de pagamento, que, no caso de Moçambique, tudo tem sido feito para que exista um sistema de pagamento abrangente que toca os cidadãos que se encontram nos pontos mais recônditos do país.

Segundo Ernesto Gove, estes sistemas visam fazer com que o crescimento económico, de mais de 10 anos em redor dos 7.5 por cento, seja sentido pelas populações que estão em regiões mais recônditas do país e a contribuição do BM como sector financeiro tem sido para o desenvolvimento de um sistema de pagamento abrangente.

“Temos também muitos projectos na região, como é o caso da plataforma de comunicação entre os bancos centrais da SADC, que visa reduzir os custos de movimentação dos técnicos na discussão dos projectos, que temos levado a cabo, através da utilização de vídeo-conferências e isso também vai, certamente, ser abrangente para os nossos governadores”.

Os projectos têm em vista a efectivação da integração regional, fazendo com que as moedas dos países membros sejam instrumentos de pagamento para facilitar o comércio transfronteiriço, salvaguardando os aspectos de segurança e de branqueamento de capital. “Temos que lutar para que sejamos uma região forte, integrada, rumo à integração Pan-Africana que é o objectivo final. Termos uma África unida, económica e politicamente que é desejo dos nossos chefes de estado”.

Acrescentou que “sobre os 40 anos do banco central teremos a ocasião de apresentar os principais marcos alcançados, em que a questão fundamental da estabilidade dos preços e desenvolvimento de um sector financeiro forte, são, abrangente e inclusivo, tem prendido as atenções do Banco de Moçambique, como sua contribuição para a concepção do objectivo macroeconómico,”.

Refira-se que a celebração dos 40 anos do Banco Central moçambicano coincidem também com o vigésimo aniversário da criação Comité de Governadores dos Bancos Centrais da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC)

Entretanto,

BM realiza hoje simpósio comemorativo

Entretanto, o Banco de Moçambique realiza hoje um simpósio internacional com o tema “O Papel da Inclusão Financeira no Crescimento Económico: Desafios e Perspectivas” que terá como orador principal Alfred Hanning, Director Executivo da Alliance for Financial Inclusion. O evento enquadra-se no âmbito das festividades do 40º aniversário do Banco Central e 35º do metical.

O simpósio, a ser orientado pelo governador do Banco de Moçambique, Ernesto Gove, contará com a presença de membros do Governo e governadores dos bancos centrais da SADC e da CPLP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo