DestaqueEconomia

ESTHER CHIMBALANGA, TRADUTORA: Tive de alargar o objecto da empresa

É licenciada em Tradução e Interpretação de Português-Inglês e vice-versa pela Universidade Eduardo Mondlane (UEM). É mestranda em Interpretação de Conferências, na Universidade Pedagógica (UP).

Em 2017 criou a Jent Consultoria e Serviços que conta com sete trabalhadores. Na altura, o objecto da empresa era tradução e interpretação, mas no exercício da actividade foi-se apercebendo da escassez de equipamento de interpretação no mercado nacional.

“Recordo-me que tínhamos poucas empresas que forneciam o material, ao mesmo tempo que poucas pessoas tinham formação na área. Geralmente, eram pessoas que viram uma oportunidade de negócios e investiram”.

Para começar o negócio, Esther Chimbalanga contraiu um crédito ao consumo de cerca de dois milhões de Meticais, com o qual adquiriu o equipamento. Foi assim que decidiu acrescentar no objecto da empresa a componente de aluguer e venda de equipamentos de interpretação.

Recorda que a aquisição do equipamento não foi tarefa fácil, primeiro porque os preços eram proibitivos, segundo porque o material não estava disponível no mercado nacional. Teve de recorrer ao mercado internacional. Leia mais…

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo