DesportoDestaque

MEMÓRIA – PEDRO PELEMBE: Recrutado no beco para o Matchedje

Depois de se denominar Clube das FPLM (Forças Populares de Libertação de Moçambique) passou a chamar-se Matchedje. Nessa altura, vários atletas de renome juntaram-se ao Matchedje entre 1979 e 1980 depois de incorporados no serviço militar obrigatório. Na mesma altura, os outros atletas eram filiados ao Estrela Vermelha, clube ligado à Polícia.

O primeiro grande Matchedje teve na sua equipa jogadores como Manhiça (o grande capitão), o polivalente Betinho Magaia, Amadinho, Chababe, Orlando (guarda-redes), Pinduca, Boi, Mateus, Flávio, Brás, que vinham de diversos pontos do país. Mais tarde, também juntaram-se à equipa militar Manecas, Filipe Chissequere, Ribeiro, entre outros que despontavam nos seus clubes e escolhidos a dedo para a tropa.

Também o futebolista Alberto Agostinho Pelembe, também tratado por Durão, que estava em grande forma, era alvo preferencial do Matchedje. Aliás, tinha feito uma excelente época em 1982, que culminou com a conquista do campeonato nacional nesse ano.

A forma usada para o recrutamento de Alberto Agostinho Pelembe não foi a ideal, mas característica naqueles tempos e assim falhou-se o alvo.

Nessa altura, Pedro Agostinho Pelembe, irmão do craque do Ferroviário, estava a dar cartas na “bola ao cesto”, em representação do Maxaquene, em momentos áureos. Aliás, Pedro ainda gozava a euforia de um excelente “Africano” de juniores de basquetebol, em 1982, onde Moçambique terminou em segundo lugar, após perder na final, por margem mínima (quatro pontos), diante da sua congénere de Angola. Leia mais…

Texto de Joca Estêvão

joca.estevao@snoticias.co.mz

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo