Sociedade

MUTHIYANA DE FIBRA: Quero ver meu filho menor preso em liberdade

Nome: Ana Filomena

Naturalidade: Maputo

Residência: Maputo

Ocupação: Comerciante Conquistas: A muthiyana de fibra desta edição do jornal domingo destaca-se sobretudo pela sua bravura e coragem.

A jovem mulher vem experimentando momentos de angústia desde que viu o seu filho, um menor de 17 anos, estudante, ser preso por uma brincadeira que envolveu meninos da zona, lá pelas bandas de Nhlamankulu, um dos bairros localizados nos arredores da capital do país.

“Aconteceu no início deste ano. Rachou-se o vidro da porta da padaria que se localiza aqui perto da nossa casa.

O proprietário conhece as crianças da zona,inclusive o meu filho.

Mas, certo dia, envolveu a minha criança num problema que nem se tem certeza de quem de facto provocou, somente mandou pessoas para minha casa para prenderem o miúdo”.

Passado quase um ano, Ana Filomena, uma mulher pobre, que vive amelhando centavos fruto do seu negócio, narra que chegou a se colocar à disposição da justiça e do referido empresário, o proprietário da padaria para pagar pela reposição do vidro. “Mas, ninguém levou isso em consideração”. Hoje, desmancha-se em lamentações, ao mesmo tempo que junta forças para trabalhar, vendendo diferentes tipos de bebida, para sustentar as outras crianças que dependem de si em casa.

“Está a ser muito difícil, e eu questiono-me por que motivo é mantida presa uma criança, sobretudo porque me coloquei à disposição para reparar o tal erro que nem se tem certeza de quem cometeu”.

 Sonho: “Ver o meu filho menor preso em liberdade”.

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo