Sociedade

Malária continua a preocupar

O Ministério da Saúde (MISAU) tem registado redução de transmissão e ocorrência de mortes por malária, contudo a enfermidade ainda constitui sério problema de Saúde Publica afectando, maioritariamente, crianças dos 0 a 5 anos de idade.

A título de exemplo, em 2014, o MISAU registou cerca de 5.4 milhões de casos, sendo que no primeiro trimestre do presente ano foram registados 1.542.174 casos contra 1.719.648 ocorridos no ano passado, o que mostra uma redução na ordem de 10 por cento.

No que diz respeito a mortes, no presente ano o sector registou-se 690 casos, no primeiro trimestre de 2015, contra 1006 casos registados em igual período de 2014.

De acordo com Baltazar Candrinho, Director Nacional do Programa de Saúde Pública, o sector está a implementar e reforçar diferentes estratégias para a sua mitigação.

“Na área de prevenção continuamos a distribuir redes mosquiteiras para todas as mulheres grávidas, nas consultas pré-natais, e nas diferentes campanhas que temos levado a cabo nos distritos”, referiu, tendo acrescentado que a mulher grávida é tida como um dos grupos de especial atenção.

“Para a mulher grávida estamos, igualmente, a implementar a medicação preventiva para que o bebé nasça livre da malária e para tal, ela é administrada, ao longo da gestação, o tratamento de prevenção com base no fansidar, um tratamento intermitente”, rematou Candrinho.

Para além de protecção com base na distribuição de redes mosquiteiras, a pulverização intra-domiciliária, o saneamento do meio nas comunidades constituem outras estratégias para a mitigação desta doença.

Estas estratégias são implementadas prioritariamente em distritos com alta transmissão pela malária e com grande densidade populacional. Até o momento, Zambézia, Nampula, Cabo delgado, Niassa e Tete constituem as províncias com elevado índice de ocorrência desta doença. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo