Sociedade

Jardim dos madjermanes reabre com nova roupagem

O Jardim da Liberdade, vulgo Jardim dos Madjermanes,  reabre  ao público em Julho próximo, com um novo visual. A iniciativa está inserida numa parceria público-privado entre a ZEP e o Conselho Municipal da Cidade de Maputo. Para o efeito, estão a decorrer obras de reabilitação do jardim e construção de diversas infra-estruturas, sobretudo comerciais.

 

O jardim dos madjermanes ocupa uma área de um hectare. Uma parte, cerca de  5 porcento  do espaço é ocupado pela parte comercial do projecto, nomeadamente Quiosques, restaurantes, sorveteira, cafés, para além de espectáculos musicais. Os restantes 95 porcento serão espaços verdes e de diversão diversa. 

Actualmente, decorrem trabalhos de montagem de equipamento nos estabelecimentos comerciais, casos de congeladores, geleiras, balcões, finalização das obras em algumas lojas e restaurantes, assim como melhoramento dos passeios. Estáigualmente em curso a conclusão das obras dos camarins para os artistas nos dias dos espectáculos. O recinto terá capacidade para albergar 2500 espectadores.

José Pires, representante da ZEP, empresa que ganhou a licença de exploração do jardim disse que a sua expectativa édisponibilizar um lugar de lazer seguro aos cidadãos e amantes da cultura moçambicana.

Por isso, prevê a realização regular de espectáculos, exposições, stands de venda de artesanato, entre outras atracções incluindo gastronomia diversa por intermédio de restaurantes com cozinhas nacionais e internacionais.

As obras de reabilitação do Jardim dos Madjermanes ainda estão em curso e têm três fases. A primeira, que foi o melhoramento do jardim, já foi concluída. Nesse processo foi montado novo de equipamento para brincadeiras das crianças como baloiços. Neste momento, decorre a segunda fase que consiste na construção de estabelecimentos comerciais e palco para espectáculos. A terceira fase consistiráapenas na construção de um restaurante.

Falando sobre os seus desafios, Zé Pires referiu que estes estão relacionados com a segurança naquele recinto, uma vez que no passado era local onde os malfeitores assaltavam e assassinavam pessoas que por ali passavam, sobretudo no período nocturno. E também éum recinto onde muitos jovens ganhavam o pão vendendo roupa e sapatos.

O outro desafio está em fazer entender aos regressados da RDA que aquele recinto épublico. Estes reclamavam a gestão dum espaço onde diziam que foi morto um dos seus colegas.

O nosso entrevistado disse que esta situação está quase ultrapassada, uma vez que já houve encontros com os representantes daquele grupo de ex-trabalhadores da RDA, embora existam uns e outros que ainda resistem.

Num outro desenvolvimento, José Pires disse que houve outro encontro com os moradores dos prédios situados nas imediações do jardim e, neste foi acordado que a ZEP organizará dois espectáculos por ano, sendo um em cada semestre, cujos rendimentos servirão para os serviços de limpeza destes prédios.

Abibo Selemane

habsulei@gmail.com

fotos de Carlos Uqueio

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo