DestaqueSociedade

Ganhar a vida com sucata

“Pilotam” carrinhas de roda, vulgo “txova”, pelas ruas da província e cidade de Maputo e, ao som de um megafone, anunciam a recolha de sucata de ferro ou baterias inoperacionais de automóvel. Com esta actividade garantem a sua renda familiar: colocam o pão à mesa e custeam outras necessidades básicas. A recolecção de sucatas de ferro é uma opção.

Com efeito, os sucateiros propõem trocas comerciais e oferecem ao proprietário do metal de 5 a 7 Meticais por quilograma deste material.

É nesse contexto que Tiago Ivone Macuácua, jovem de 27 anos, residente em Hulene “B”, na cidade de Maputo, casado e pai de dois filhos, desenvolve, há 9 anos, a actividade de recolecção de ferro.

Em conversa com a nossa reportagem, afirma que tentou trilhar outros caminhos, sem sucesso. Com a décima primeira classe já concluída, queria ter alargado mais os estudos, todavia as finanças lhe negaram este desejo.

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo