Sociedade

EDUCAÇÃO: Usar teatro para combater o álcool nas escolas

Esta é uma medida adoptada pelo MINEDH e parceiros

O Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano (MINEDH) está a implementar, em parceria com a Diageo e a British Council, o Projecto “Quebrados”, que visa combater o consumo de álcool nas escolas através do teatro. Na primeira fase, lançada em Março do ano em curso, abrangeu mais de 46 mil alunos de 30 escolas no distrito de Marracuene, na província de Maputo.

O Programa “Quebrados”,
implementado pela primeira
vez a nível do continente africano
em Moçambique, foi lançado
em Março do ano em curso em
30 escolas de Marracuene e teve como grupo-alvo crianças com
idades compreendidas entre os
12 e 13 anos.
Originalmente, o projecto foi
concebido no Reino Unido da
Grã-Bretanha e tem sido implementado
nos últimos onze anos,
tendo abrangido um universo de
mais de 250 mil jovens, de 1300
escolas.
O programa tem como objectivo
alertar os adolescentes
sobre os perigos do consumo
de bebidas alcoólicas na menoridade
e das respectivas consequências
ao longo do seu crescimento.
domingo apurou que o projecto
teve um orçamento de cerca
de dois milhões de meticais,
cuja execução foi de mais de um
milhão e 600 mil meticais e alcançou
mais de 46 mil pessoas
entre alunos, professores, directores
de escolas, entre outros,
tendo excedido 45 mil inicialmente
previstos.
Para o próximo ano, prevê-se
que o programa seja lançado em
mais 30 escolas da cidade e província
de Maputo, para abranger
a mais de 60 mil beneficiários.
Para o caso da cidade de Maputo,
as estruturas da educação já
elegeram as escolas prioritárias,
principalmente as que têm sido
relatadas frequentemente sobre
o abuso de álcool.
Trata-se das escolas secundárias
Josina Machel, Francisco
Manyanga, Polana, Estrela Vermelha,
Malhazine, Quisse Mavota
e Noroeste 1 e 2. Só em Maputo
serão escolhidas mais escolas
para completar 20, outras 10
serão seleccionadas na província
de Maputo e as idades vão partir
de 12 a 16 anos.
Para Ivaldo Quincardete, director
nacional dos Assuntos
Transversais, este programa
está a ser implementado numa
altura em que a saúde e o bem-
-estar de muitos jovens estão
seriamente comprometidos pelo
consumo de álcool e de outras
substâncias que afectam o sistema
nervoso central e provocam
dependência psíquica.
“Os jovens são mais vulneráveis
a sofrer danos físicos,
emocionais devido ao consumo
impróprio de álcool com
terceiros, seja com os pais e
ou encarregados de educação”,
disse, e acrescentou que
existem fortes ligações entre o
consumo, violência, comportamentos
sexuais de risco, acidentes
de viação e de outros tipos.
Quincardete disse ainda que
um estudo realizado recentemente
relata que 90 por cento
dos consumidores do álcool têm
como influência as amizades,
o que é agravado se for levado
em conta que 53 por cento dos
rapazes entram no mundo do
álcool por razões de amizade e
a frustração assola cerca de 27
por cento de jovens do sexo masculino.
“Outro dado preocupante é
que o uso desregrado do álcool
provoca anualmente cerca
de dois milhões de mortes a
nível do mundo, por isso vimos
a necessidade de chamar
atenção às crianças de tenra
idade sobre os perigos do consumo
de álcool”, sublinhou.
Por seu turno, Neyde Pires,
representante da Diageo, disse
que o programa foi lançado em
Moçambique, no âmbito da responsabilidade
social da empresa,
como programa-piloto visa sensibilizar
alunos e os respectivos
pais e ou encarregados de educação
sobre os perigos do consumo
de álcool. Pires defendeu que
a implementação da fase-piloto
foi um sucesso, sobretudo se forem
levados em conta os resultados
alcançados. Por essa razão,
a ideia é levar o programa a
mais crianças moçambicanas de
modo a saberem que o consumo
de álcool é prejudicial para a sua
saúde e o desempenho escolar.

Angelina Mahumane
angelina.mahumane@snoticias.co.mz

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo