Sociedade

Doentes e abandonados

Texto de Abibo Selemane e Fotos de Carlos Uqueio

O casal Francisco Cumbe e Luísa Nhanala luta contra doença sem cura desde meados de 2011. A mulher já foi internada no Hospital Central de Maputo e no da Machava, sem sucesso. A família do casal não quer arcar com despesas. Foi a primeira a fugir.

Por causa desta doença, Luísa Nhanale está impossibilitada de fazer algo. Passa maior parte do dia deitada. Mesmo para se levantar precisa de auxílio de alguém. Faz as necessidades maiores onde está deitada. O marido, também em dificuldades, arranjou uma bacia onde ela se alivia .

A situação do casal é considerada “muito crítica” pelos vizinhos, uma vez que vive sem ninguém por perto, a despeito de todas as carências que tem experimentado.

O facto foi testemunhado pela nossa equipa de Reportagem que visitou há dias o casal que vive no bairro de Infulene, Município da Matola, Província de Maputo.

Marido e mulher disseram à nossa Reportagem que se não houvesse intervenção dos seus vizinhos não sabe o que seria deles, pois estes prestam assistências como membro das suas famílias. A família fugiu sem deixar rastos. Não quer ser incomodada. O casal diz que não recebe a visita dos membros das famílias desde o ano de 2012

Mas os próprios vizinhos consideram que a sua ajuda não é suficiente para fazer face à vida delicada do casal.

ESPOSO DESOLADO

Francisco Cumbe, esposo, é um homem desolado. O homem encontra-se desesperado, porque está  impedido de desenvolver a sua profissão.

Cumbe diz que se sente abandonado e não sabe o que fazer para garantir o sustento da família e comprar medicamentos, uma vez que desde que a sua esposa ficou doente não exerce sempre a sua profissão de carpinteiro.

“Não sei o que fazer. Mesmo com a família a viver aqui na Matola sou muito dependente dos meus vizinhos. De lembrar que quando estava no hospital os vizinhos é que pagavam todas as despesas. Tenho receitas médicas e não sei quando é que vou comprar o medicamento. Estou mal, não sei o que fazer”, referiu.

Abibo Selemane

habsulei@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo