Sociedade

Desistências diminuíram mas preocupações persistem

A onda de desistências nas escolas, sobretudo da rapariga, tende a diminuir nos últimos anos no distrito de Palma, Província de Cabo Delgado. Mesmo assim, as autoridades do sector de educação ainda mostram-se preocupadas.

A preocupação tem a ver, por um lado, com a insuficiência de infra-estruturas escolares como salas de aulas, carteiras, bibliotecas, e por outro, com o facto de uma parte dos alunos deixarem de frequentar a escola depois das festividades do dia 1 de Junho, Dia Internacional da Criança.

Em relação a este facto ainda não há informações claras sobre porque é que as crianças param de ir à escola neste período. Mas sabe-se que antes do mês de Junho as salas ficam completamente preenchidas.

Embora em número reduzido, as desistências das raparigas nas escolas ainda verificam-se em Palma, algumas destas relacionadas com a mudança de residência dos pais, assim como os casamentos prematuros.

Aliás, por causa dos despedimentos de trabalhadores que acontecem em alguns projectos naquele ponto da província Cabo Delgado muitas escolas perderam os seus alunos. Tudo porque os seus encarregados decidiram regressar para as suas origens.  

domingosabe que só no primeiro semestre deste ano, 2015, cerca de 10 raparigas deixaram de frequentar a escola. Presume-se que elas tenham abandonado as aulas para cuidarem dos seus lares.

A directora distrital de Educação, Adelina Sitoe, disse que o número agora é encorajador comparativamente aos registos de abandono dos anos anteriores.

A nossa entrevistada disse ainda que a sua direcção, juntamente com seus parceiros, adoptou um novo modelo de forma a incentivar as raparigas a frequentarem a escola, que consiste na isenção das matrículas, oferta de uniforme e material escolar, entre outras medidas. Neste momento são assistidas cerca de 60 raparigas.

Entretanto, alguns pais ainda preferem levar as suas crianças somente para a madrassa. Outros ainda levam aos ritos de iniciação quando entenderem, sem no entanto respeitar o calendário escolar.

De referir que o distrito conta com 12 mil e 498 alunos, sendo 498 a frequentar as classes entre 8ª a 10ª.

NOVAS INFRA-ESTRUTURAS

O distrito de Palma passará a contar, a partir do próximo ano, com uma escola para o ensino secundário. Neste momento, decorrem trabalhos de acabamentos como colocação de portas, janelas e nivelamento da terra. A referida escola secundária terá seis salas de aula, um bloco administrativo, sala de informática, laboratório, campo polivalente, entre várias infra-estruturas.

Adelina Sitoe disse que o número de salas é satisfatório tendo em conta o nível de graduados por ano.

Actualmente, o distrito lecciona até 10ª classe e as aulas decorrem na Escola Primária Completa 16 de Junho, na vila-sede.

De referir que Palma conta com 40 escolas, das quais 17 leccionam o ensino primário completo. As restantes ensinam de 1ª a 5ª classs.

Das 40 escolas, 18 foram construídas através do material convencional e as restantes funcionam em alpendres, outras por baixo de árvores.

Segundo a directora distrital de educação, Palma recebeu 300 carteiras duplas, no ano passado, do Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar. Este ano recebeu 150 do Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano e 75 do Fundo do Funcionamento dos Serviços.

Texto de Abibo Selemane
habsulei@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo