Sociedade

Crise longe do fim

A deficiente distribuição de água na província e cidade de Maputo, cuja origem está ligada à avaria da subestação de energia da Matola, está longe de ser resolvida. De acordo com Fabião Guiuele, porta-voz da Empresa Águas da Região de Maputo (AdeM), a empresa não tem como criar meios alternativos que garantam a resolução da crise do momento.

Tentativas de reparação da subestação têm redundado num fracasso e a EDM só prevê solucionar o problema nos finais de próximo ano.

Segundo fontes da Electricidade de Moçambique, a estimativa do longo tempo para resolução da crise prende-se ao facto de a empresa ter que adquirir uma nova máquina, um processo que passa pelo lançamento de concurso público.

De acordo com Fabião Guiuele Machava, Bunhiça, Tchumene, Mulotane, Campoane, Djuba e Beleluane são os bairros em que a situação de fornecimento de água revela-se mais crítica.

Outro factor que está por detrás do deficiente fornecimento de água é expansão da rede de consumidores. O aumento da carteira de clientes deve implicar, também, o aumento do volume de água e a construção de novas infraestruturas de grande envergadura capazes de suportar o crescimento populacional com o surgimento de novos bairros. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo