Reportagem

Barragem de Moamba Major

A barragem de Moamba Major, a construir ao largo do rio Incomáti, antes da confluência com o rio Sábié, vai custar qualquer coisa como 600 milhões de dólares americanos no total, incluindo a componente de abastecimento de água. Sem esta importante componente iria custar pouco mais de 400 milhões de dólares.

Para além destes objectivos essenciais, iria contribuir para regular o curso principal do rio Incomáti, pois, segundo o Director Geral da ARA Sul, Belarmino Chivambo, neste momento Moçambique só regula o rio Sábiè.

Desvantagem da infra-estrutura: não é barragem comercial, pois não tem como finalidade a produção de energia, por exemplo. É mais uma barragem para abastecimento de água.

Ou seja: ao construir esta infra-estrutura, o Governo não pode equacionar retorno financeiro imediato, devendo contentar-se apenas no seu impacto socioeconómico.

 

Barragem de Corumana

 

O Banco Mundial irá mesmo financiar a conclusão de comportas nesta importante infra-estrutura, operação de custo relativamente maior, tratando-se de uma barragem que já existe.

De acordo com o Director Geral da Ara Sul, Belarmino Chivambo, Corumana serve também como fonte de abastecimento de água à cidade de Maputo.

O nosso entrevistado ressalvou que no caso de Corumana as bases estão lançadas e a Direcção Nacional de Águas está na fase de actualização do projecto, havendo condições técnicas que devem ser revistas.

Chivambo sublinhou que parceiros internacionais como o Banco Mundial percebem que a barragem de Moamba Major é importante para Moçambique, porque à semelhança de Corumana, podia contribuir na expansão da rede de abastecimento de água à cidade de Maputo, contudo preferem avançar para esta última porque grande parte da infra-estrutura já existe.

Mesmo assim, os custos de conclusão da barragem de Corumana estão próximos dos  100 milhões de dólares.

É importante referir, por outro lado, que Corumana garante, neste momento, água para Xinavane, Maragra, assegurando produção no Incomáti.  Deverá continuar a ser o pivot para o desenvolvimento.

 

Barragem de Mapai

 

A barragem de Mapai, bastante desejada para mitigar cheias no Limpopo e assegurar água à zona semi-árida, no norte de Gaza, tem problemas de preço: custaria mil milhões de dólares americanos.

Segundo estudos preliminares, Mapai teria uma capacidade para  dez mil milhões de metros cúbicos, três vezes a capacidade da barragem de Massingir.

Desvantagem: não é propriamente para produção de energia. Sua importância assenta na produção de comida e controlo de cheias. Não é uma barragem comercial.

 

Barragem de Massingir

 

Mais de metade de financiamento da reabilitação da barragem de Massingir assegurou a reabilitação do Regadio do Baixo Limpopo, o que estimulou pequenas iniciativas como Sistema de Crédito do Baixo Limpopo, Cooperativas de Pequenos Agricultores no Baixo Limpopo, o que resultou na criação da Empresa Regadio de Baixo Limpopo, que neste momento está expandido inclusive para áreas maiores. 

Em Massingir foram implementadas obras para construção de comportas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo