Reportagem

Assassinar a troco de quatro milhões de meticais

. Caça aos albinos alimenta negócio macabro na região de Grandes Lagos e África Oriental

Alfane tinha trinta e cinco anos de idade. Passavam poucos minutos das dezassete horas do dia 16 de Setembro de 2015 quando viu o sol pela última vez. Algures no Topuito, distrito de Larde (em Nampula), entre os bairros de Tipane e Mutitico, ele é caçado e enforcado. Seguidamente seu corpo é trinchado como se de frango se tratasse. Motivo: nasceu albino.

Todo o drama deste assassinato pode ser evidenciado desta forma: braços e pernas separados do corpo, tronco à parte e cabeça sem olhos.

Quando a Polícia seguiu o rasto do crime encontrou estes restos mortais com sangue fresco ainda a correr, evidências de que a barbaridade era bem recente.

Esquartejaram o homem. Seu corpo já não tinha olhos. Esta é uma nova linha de investigação que estamos a seguir. Sabíamos que os traficantes de carne e ossos de albinos procuravam carne, cabelo, ossos. Agora estamos a apurar que querem também os olhos e até lábios, conta-nos, visivelmente revoltado, Sérgio Mourinho, quadro superior da PRM em Nampula.

Alfane António, o cidadão assassinado, era enfermeiro em Topuito. É mais uma vítima da prática, mórbida, de rituais bruxaria mediante uso de carne e ossos de albinos.

Seus algozes exprimiram técnicas severas de mutilação, retalhando seu corpo ele ainda vivo, pois acreditam que a intensidade de gritos aumenta a eficiência das poções feitas com carne e ossos de albinos.

Os punhos cerrados da vítima expressam sua última agonia. Seu corpo foi dividido em pedaços que a Polícia foi recuperando na mata, em locais diferentes, às vezes separados por uma distância de dois quilómetros.

As imagens (que publicamos à parte) falam por si. Alfane António, que era agente de serviço no posto de saúde local, foi selvaticamente assassinado por Momad Óscar, Jamal Ussene e seus quatro comparsas, todos sob custódia policial.

Para o efeito a Polícia lavrou o auto número 58/2015 contra estes cidadãos e diligências prosseguem com vista a neutralizar outros envolvidos, incluindo o autor moral, o mandante, que se presume seja um cidadão sul-africano.

CABO DELGADO

E NIASSA NA ROTA DO CRIME

Quatro milhões de meticais é quanto custou o corpo da vítima, um negócio macabro que abarca uma rede internacional que envolve mais de metade dos países dos Grandes Lagos e África Oriental. Estamos a falar de países como Etiopia, Quénia, Tanzânia, Uganda, Republica Democrática do Congo, Ruanda, Burundi e Camarões.

A morte de Alfane chocou a província de Nampula, onde infelizmente são relatados casos de assassinato de albinos cada vez em maior número.

Segundo a Polícia, os corpos de cidadãos assassinatos ou então algumas peças (braços, pernas, olhos, cabelos, lábios) eram lavados para fora do país através da província de Cabo Delgado para Tanzania e outros países.

Porque a Polícia apertou agora o cerco em Cabo Delgado, os traficantes usam agora Niassa, entrando por Malawi e seguindo para outros países mediante uma teia tenebrosa de transporte e conservação. Fala-se até de meios frigoríficos nesta “operação” sinistra.

A matança de albinos é feita porque existe a crença de que seus restos mortais dão sorte quando usados em poções mágicas. Alguns pescadores entrelaçam cabelos de albinos nas redes para obterem bons resultados na pesca.

Caça aos albinos preocupa Chefe de Estado

. Procuradoria-geral da República (PGR) posiciona-se em Nampula exige acção mais vigorosa das autoridades

A caça aos albinos em Nampula não deixou o Chefe de Estado moçambicano indiferente. Filipe Jacinto Nyusi criou uma comissão multisectorial para debelar o fenómeno (liderado pelo Ministério da Justiça) e instruiu a Polícia da República de Moçambique (PRM), bem como a Procuradoria-geral da República para acelerarem o passo na identificação, captura, julgamento e condenação dos envolvidos neste negócio macabro.

Com efeito, o Comandante Geral da Polícia, Jorge Khalau, esteve recentemente em Nampula no seguimento das orientações do estadista moçambicano e há duas semanas Beatriz Buchili, Procuradora Geral da República visitou recentemente esta província nortenha.

Os dois dirigentes deixaram orientações claras, assentes na necessidade de se imprimir maior dinâmica na captura e condenação dos agentes de crime.

A PRM registou até ao momento vinte casos de rapto e tentativa de assassinato de albinos em Nampula.

Dados em nosso poder indicam que pelo menos dezassete processos foram instaurados contra cidadãos indiciados, dos quais quinze estão concluídos.

Dezoito processos já foram entregues ao Ministério Público, havendo vinte e nove pessoas detidas em conexão com o crime de rapto e assassinato de cidadãos albinos.

Entre os indiciados destacam-se também cidadãos acusados de violação de túmulos de pessoas albinas que pereceram. Eles buscavam nas campas ossos humanos  para comercializar.

O distrito de Malema é que regista mais casos de vandalização de túmulos.

QUEBRA DE SIGILO TELEFÓNICO

No seguimento das orientações do Chefe de Estado, A PRM em Nampula está a trabalhar com Ministério Público para quebra de sigilo telefónico para interceptar os mandantes destes crimes.

Esses mandantes comunicam-se com os executores de crimes hediondos, pagando entre quatro a seis milhões de meticais (100 a 150 mil dólares americanos) na teia de crimes transnacionais e organizados.

Não podemos dizer que o fim último é a Tanzania. Temos que olhar para toda a região dos Grandes Lagos. Temos 17 mil estrangeiros em Nampula oriundos da Tanzania, Quénia, Uganda e Republica Democrática do Congo, revelou fonte policial, assegurando: Vamos descobrir para onde levam os albinos.

A Polícia acredita que este “negócio” envolve muita gente e muito dinheiro e Incide em indivíduos menos instruídos.

Curiosamente todos os 29 detidos confessaram.

Ocorrências relacionadas

à caça de albinos em Nampula

·        Detidos cidadãos dos Camarões e da República Democrática do Congo

 

·        6 de Maio de 2015. 22:OO horas. Em Namaíta, povoado de Mucororo, distrito de Rapale, indivíduos desconhecidos invadem residência de Pedro Patrício Toquira, solteiro de 42 anos de idade, por meio de escalamento do murro do quintal. Raptam sua criança albina, Verónica Pedro, 4 anos de idade. O relatório policial número 100/015, de 09 a 10.04.015, indica que a menor raptada foi resgatada com vida abandonada numa mata no distrito de Murrupula.

 

·        19 de Maio de 2015.21:20 horas.  Localidade de Nataleia, distrito de Malema.  Horácio Carolino e Feliciano Sebastião introduzem-se no interior da casa de Basílio Ada, cidadão albino, assassinando-o para fins obscuros. A Polícia já tomou diligências com vista à neutralização dos meliantes.

 

·        8 de Junho de 2015.  18:50 horas.  São detidos os cidadãos Kokina Kakina, solteiro de 32 anos , residente na África do sul; Rushingica Malik, de 13 anos, residente em Nampula, no bairro Muatala; Madayo Constantino, solteiro de 35 anos, residente em Marratane. Todos são desempregados e naturais da República Democrática do Congo e foram presos em conexão com o caso de tráfico de pessoas. Violentaram o moçambicano Issa Saíde, solteiro de 35 anos de idade, albino, natural e residente em Lichinga, bairro Mugenga. Foi-lhes instaurado o respectivo auto de notícia com o número 39/15.

 

·        18 de Julho de 2015. No posto administrativo de Iapala, distrito de Ribáuè, a PRM deteve três indivíduos, nomeadamente Alde Daniel Napachela, solteiro de 22 anos de idade, residente em Ribáuè; Lucas Karonga, solteiro de 45 anos de idade, natural de Cuamba e residente em Mecanhelas, província do Niassa;  Issufo Amisse, solteiro de 38 anos de idade, natural de Angoche e residente no bairro de Namutequiliua, cidade de Nampula, por terem raptado e cortado cabelo, para fins desconhecidos, ao cidadão Tomassiano Rosário, albino, solteiro de 22 anos de idade, natural e residente em Nipepe, Niassa. Foi lavrado auto de notícia número 02/15 com autores detidos quando faziam-se transportar numa viatura de marca Toyota Spacio com chapa de inscrição ADN-375-MP.

 

·        18 de Julho de 2015, 10:00 horas. Em Nacala-Porto, precisamente no bairro Muanona, Moneia Cassimo e João Armando, ambos solteiros de 22 anos de idade, naturais e residentes em Nacala-Porto nos bairros de Muanona e Micajune respectivamente, acompanhados por Tomás, usando rebuçados e bolachas enganaram um menor de cinco anos de idade de nome Lúcia Daúdo, de raça albina, tentando raptá-la.

 

·        22 de Julho de 2015, 17:00 horas. No bairro Macone indivíduos não identificados raptaram para parte incerta o cidadão que responde pelo nome Avelino Romualdo, de 20 anos de idade, de raça albina. Em conexão com o caso encontra-se detido Iassine Muhinde, de 26 anos de idade.

 

·        2 de Agosto de 2015, 22:00 horas. Na área de Cavira, no regulado Mphina, a 15 quilómetros da sede do posto administrativo de Netia, distrito de Monapo, indivíduos desconhecidos raptaram na residência dos seus pais uma menor de três anos de idade de nome Ámina Bento, albina. Seu corpo foi encontrado sem vida em poder de um dos autores do crime, José Abdala, solteiro de 23 anos de idade, estando em fuga o seu comparsa de nome Calisto Amídio. No dia 7 de Agosto de 2015, área da Segunda Esquadra foram neutralizados e detidos os implicados acima indicados. O relatório número 275/015, de 01 a 02 de Outubro, indica igualmente a detenção de Jacinto Miguel, solteiro de 38 anos de idade e Mário Laurício, solteiro de 42 anos de idade, ambos naturais e residentes em Monapo, no bairro Murriopuna, em conexão com o caso.

 

·        12 de Agosto de 2015. 00:00 horas. Em Angoche, os cidadãos Selemane Saíde e Albertino António, de 36 e 40 anos de idade, arrombaram a porta uma casa e raptaram uma menor de 2 anos de idade de nome Agira Ramadane, albina, que só foi resgatada no distrito de Gilé , na província da Zambézia. Em conexão com o caso encontram-se detidos os cidadãos Hidong Sambiss, casado de 41 anos, comerciante, de nacionalidade camaronesa e residente na cidade de Nampula; e Serage Adelino Mathapa, solteiro de 23 anos, camponês, natural de Angoche e residente no posto administrativo de Namitória.

 

·        31 de Agosto de 2015, 17:00 horas. Na localidade de Namiconha, dois indivíduos apenas conhecidos pelos nomes de Riquito e Zé, não identificados por se encontrarem a monte, fazendo-se transportar numa motorizada, raptaram um cidadão albino, Calton Cristóvão, solteiro de 18 anos de idade, que escapou com intervenção do conselho de policiamento comunitário.

 

·        31 de Agosto de 2015. No posto administrativo de Iapala, distrito de Ribáuè, cidadãos apenas conhecidos por Castelo Zacarias e Hélder, raptaram um menor de 14 anos de idade de nome Feliciano Ussene, albina, natural de e residente e Ribáuè. Das diligências feitas foi possível saber que o autor teria ligado para sua esposa de nome Rosalina André, de 26 anos de idade, natural e residente em Ribáuè, dizendo que estava arrependido. Diligências continuam para localização do foragido.

 

 

·        No povoado de Ewile, localidade de Murralelo, distrito de Malema, José André, solteiro de 32 anos de idade, camponês, natural e residente em Murralelo raptou Lídia Carlitos, solteira de 20 anos de idade, albina e assassinou-a para cortar os lábios.

Bento Venâncio

bentok1000©yahoo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo