Política

Por que Chang deve ser julgado no país

Um dos casos sonantes e que vem alimen­tando a conversa em Moçambique é o pe­dido de extradição do deputado e antigo ministro das Finanças, Manuel Chang, ora detido na África do Sul, mas que está a ser procurado também pela justiça norte-americana.

A procuradora-geral da Re­pública, Beatriz Buchile, expli­cou semana passada aos deputa­dos da Assembleia da República que o pedido de extradição visa acautelar os interesses do Esta­do moçambicano, uma vez que, além da sua ligação com as dí­vidas não declaradas, Manuel Chang é elemento crucial para o esclarecimento de outros casos criminais em Moçambique.

 A título de exemplo, a PGR instaurou um processo-crime autónomo, ainda na fase de instrução preparatória, em que Manuel Chang e outros três ar­guidos estão indiciados de actos de corrupção na adjudicação das obras de construção do Aeropor­to de Nacala, província de Nam­pula, e na compra dos aviões Embraer.

Na ocasião, esclareceu que a acusação americana que deu lu­gar à prisão de Chang na África do Sul teve como base elementos da auditoria realizada pela Kroll, solicitada pela PGR moçambi­cana, o que, nas suas palavras, mostra o interesse de Moçambi­que neste processo.

Texto de Domingos Nhaúle

domingos.nhaule@snoticicas.co.mz

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo