Política

“O povo quer acções concretas”

Filipe Nyusi, candidato da Frelimo às eleições presidenciais de 15 de Outubro próximo, disse semana finda em Lichinga, província de Niassa, que o povo moçambicano não pode viver com base nas promessas, mas sim de acções concretas conducentes à preservação da paz e coesão nacional.

Esta foi uma da mensagens deixadas por Filipe Nyusi em Lichinga, no âmbito da visita que vinha efectuando desde a última terça feira  à província de Niassa com objectivo de se apresentar, dialogar com os membros e simpatizantes da Frelimo e com a população  em geral.

Para Nyusi, a Frelimo é um partido de realizações o que faz com que seja diferente de outras formações políticas que fazem promessas falsas e inconcebíveis com objectivo de aliciar o eleitorado.

Sublinhou que o partido no poder é o único que tem obra feita no país, de tal forma que merece uma vez mais a confiança da população para continuar a assumir os seus destinos após o escrutínio de Outubro próximo.

O candidato da Frelimo ressalvou que para que tal aconteça  é necessário que os moçambicanos  estejam unidos em torno dos mesmos objectivos, que passam pela  preservação da paz, coesão e unidade nacional, factores essenciais para o desenvolvimento do pais.

“Sem a paz e unidade nacional não podemos desenvolver o país. Os nossos filhos precisam de sossego para estudarem à vontade no sentido de construir um Moçambique próspero e indivisível. Portanto, todos temos que ser unidos no sentido de estancar qualquer tentativa de obstruir ou minar a grande conquista dos moçambicanos, a independência nacional”,apelou o candidato da Frelimo.

Na ocasião, Filipe Nyusi afirmou que a sua governação, caso ganhe as eleições de Outubro próximo será caracterizado por um diálogo permanente com as populações que poderão indicar as acções prioritárias a serem desenvolvidas.

Numa avaliação sócio-económica de Niassa, o candidato disse que a província está em franco crescimento. Contudo, existe acções que merecem um tratamento especial, tal é o caso da construção da estrada Cuamba-Lichinda e a respectiva linha férrea.

Assim sendo, o candidato garantiu que estas são as principais acções que devem ser concretizadas no próximo quinquénio, “para permitir a redução do custo de vida”. Não podemos prometer aquilo que sabemos que não havemos de fazer. Nós falamos daquilo que sabemos que vamos realizar.

A  Frelimo não  promete quando sabe que não  vai cumprir. Só falamos daquilo que temos certeza que vamos concretizar. A estrada já está a ser construída, estando as obras neste momento em Ribauè, daqui a pouco chegarà a Cuamba,  Matandi, Mandimba ate Lichinga”,disse Filipe Nyusi, ressalvando que em relação à linha férrea, brevemente iniciará a limpeza da via para a sua construção.

Num outro momento, o candidato da Frelimo vincou a necessidade de os moçambicanos continuarem apostados na prática agrícola. Aqui a lição especial foi proferida aos estudantes de ciências agrárias em Unango aos quais lhes foi pedido para apostarem na agricultura mecanizada e no empreendedorismo.

Sublinhou que os recursos provenientes da exploração dos recursos naturais em nenhum momento devem distrair os moçambicanos, “porque o gás de Temane, do Rovuma, o carvão de Moatize e o alumínio da Mozal não alimentam as barrigas das pessoas”.

Mais adiante, Filipe Nyusi disse que era um homem abençoado, uma vez que vai assumir os destinos do país numa altura que se registam grandes obras que vão impulsionar o crescimento da economia nacional.

“Daí que dissemos que a nossa candidatura é de confiança na esperança, mudança, desenvolvimento sustentável e solidariedade social. Este será um dos principais objectivos a atingirmos na nossa governação, pelo que designamos Niassa como sendo terra de esperança e crescimento económico de Mocambique”,disse Nyusi.

CONQUISTADA SIMPATIA DO POVO DE NIASSA

Em Niassa, o candidato da Frelimo escalou sucessivamente, para além da capital provincial, os distritos de Sanga, Lago, Mandimba, Mecanhelas, Cuamba, bem como o Posto Administrativo de Matchedje, local onde se realizou o II Congresso da Frelimo.

Neste lugar, Filipe Nyusi foi recebido com pompa e circunstância. Nas actividades culturais, houve uma mistura de vários ritmos de danças tradicionais daquela província com destaque para Muganda e Xihoda.

O momento foi tão contagiante que o candidato demonstrou que para além de ser bom orador, gosta de acompanhar os ritmos tradicionais de cada província, tendo sido aplaudido por milhares de cidadãos que lotavam aquele lugar.

Dirigindo se aos presentes, o candidato ressalvou que escalou aquele lugar por ser onde se iniciou o caminho da vitória dos moçambicanos contra a dominação colonial portuguesa.

“Viemos a este lugar para render homenagem aos libertadores da pátria e reafirmarmos a nossa prontidão de assumir os destinos do país, numa nova era de confiança na mudança e desenvolvimento sustentável. Encontramo-nos neste local onde se realizou o congresso da vitória para reafirmar a nossa vontade de continuar a liderar e a unir os moçambicanos em tornos dos mesmos objectivos”, disse Filipe Nyusi dirigindo se à população de Matchedje.

Acrescentou que as preocupações das populações, nomeadamente, asfaltagem da estrada, sobretudo a que dá acesso àquela região, bem como a construção de mais escolas e hospitais, fontes de água e energia, entre outros aspectos, só podem ser viabilizados com a Frelimo no poder.

O candidadto da Frelimo fez questão de sublinhar que ele foi escolhido de entre os bons quadros qualificados do partido por ser um homem que vai correr muito no sentido de cansar os seus adversários políticos.

“Nao sou a melhor estrela das melhores que existem na Frelimo. Fui escolhido para avançar e marcar muitos golos, pelo que vou correr muito para cansar os adversários. É como num jogo de futebol, o treinador pode tirar um defesa e meter um avançado para dilatar o marcador”, disse Nyusi reiterando que o seu sonho passa pela coesão, desenvolvimento sustentável e solidariedade social.

NÃO HÁ VENCIDOS NEM VENCEDORES 

E porque a sua visita a Niassa aconteceu no limiar do processo das eleições internas de candidatos a deputados da Assembleia da Republica e membros das assembleias provinciais, Filipe ressalvou que aqueles que forem eleitos devem respeitar os que por ventura não constarem da lista final.

Nesse contexto, Nyusi explicou que ele concorreu com cinco candidatos e foi eleito em sessão do Comité Central, mas que os outros que não conseguiram a eleição estão com ele e a trabalhar rumo à vitória nas eleições de 15 de Outubro próximo.

Para demonstrar essa coesão, Aires Ali presente no comício, usou da palavra e disse que ele era exemplo de que na Frelimo não há vencedores, nem vencidos, mas sim quadros prontos para assumir uma missão num determinado contexto.

As palavras de Aires Ali foram secundadas por Alcinda Abreu, chefe da brigada central afecta àquela província que disse que Filipe Nyusi era o candidato de transição das gerações de 25 de Setembro, 8 de Marco e da viragem.

Na ocasião, Alcinda Abreu falou das qualidades de Filipe Nyusi, tendo afirmado que o candidato da Frelimo tem larga experiência na administração e gestão das expectativas das pessoas.

COMBATENTES NO CORAÇÃO DE NYUSI

Em Lichinga, Filipe Nyusi reuniu-se com as organizações sociais da Frelimo, nomeadamente, Associação dos Combatentes da Luta de Libertação Nacional e Organização da Mulher Moçambicana (OMM).

Na ocasião, os combatentes queixaram se de dificuldades no acesso ao crédito bancário para o desenvolvimento dos seus projectos, bem como a ausência do diálogo e carinho por parte das autoridades locais.

Sobre a questão do acesso ao crédito, o candidato afirmou que ia trabalhar no sentido de estabelecer pacotes especiais para permitir que os libertadores da pátria tenham o dinheiro para implementar os seus projectos de desenvolvimento.

Para alem deste encontro, o candidato reuniu se com varias organizações sócio profissionais, entre elas, a associação local da classe mÉdica e dos enfermeiros, bem como dos professores.

Nesses encontros, foi notória a satisfação da plateia face ao discurso de Nyusi que apresentou diversas fórmulas para a solução dos problemas destes profissionais, como por exemplo, a concepção de bolsas de estudo, entre outros aspectos.

Depois de Cuamba, Filipe Nyusi rumou para a província de Cabo Delgado onde igualmente vai orientar encontros com membros, militantes e simpatizantes da Frelimo e população em geral para falar do seu projecto de governação.

Domingos Nhaule

Fotos de Inácio Pereira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo