Política

Nyusi pede concentração para começar a trabalhar

Filipe Jacinto Nyusi, o Presidente eleito, pede apoio do povo e concentração para iniciar o seu trabalho “sem perturbação de egoístas, independentemente da sua origem”. Nyusi teceu estas considerações no seu discurso de vitória proferido logo após a validação dos resultados eleitorais pelo Conselho Constitucional em Maputo.

“O povo é o nosso único patrão. Pedimos apoio para trabalharmos durante o tempo que a lei concede. Não queremos perturbação de egoístas seja qual for a sua origem”, disse o Presidente eleito, acrescentando que o Executivo que irá formar necessita de maior concentração para continuar a marcar diferença na governação e colocar Moçambique no lugar que merece.

“Queremos trabalhar”,reiterou Filipe Jacinto Nyusi, salientando que o povo moçambicano está ansioso por acções concretas viradas ao desenvolvimento. “O povo tem pressa de se livrar da pobreza. Prometemos governar com respeito pela lei e guiados pelo respeito à meritocracia”, referiu.

Visivelmente empolgado pela festa , Nyusi dedicou vitória ao povo moçambicano. “Temos mais uma oportunidade para desenvolver Moçambique, razão da nossa esperança”, apontou.

“Obrigado povo moçambicamo. Escolheram a paz, coesão, promoção da concórdia num Moçambique uno e indivisível. Abraçaram um projecto da criação da riqueza para os moçambicanos, assente na paz e não a violência. Não queremos ameaças”, frisou.

O Presidente eleito ressalvou que o seu Governo será de inclusão baseada na lei. “Todos devem respeitar a lei. Irei governar todos os moçambicanos de igual forma e criaremos oportunidade para todos em benefício de todos”, disse, avisando: “ inclusão não é nomeação para cargos. Não é aspirar ao poder a todo o custo”.

FESTA RIJA NA VITÓRIA

DE NYUSI E DA FRELIMO

Centenas de simpatizantes da Frelimo coloriram de vermelho a Sede Nacional da Frelimo na manhã de terça-feira. Momentos culturais intervalavam o cenário político na “Joaquim Chissano” onde esteve posicionado o “estado-maior” do Conselho Constitucional, na antecâmara da projecção dos resultados eleitorais finais.

Os camaradas, confiantes na vitória, estavam em êxtase. Vibravam no compasso de músicas de Xidiminguana, irmãs Domingas e Belita, Valdemiro José, Liloca Madade, MC Roger, Mr. Bow e Roberto Chitsondzo. Das terras sul-africanas veio o famoso General Musica.

O calor da festa foi subindo de vibração à medida que chegavam à Sede da Frelimo as figuras de proa dos camaradas. O primeiro a chegar foi Joaquim Chissano, presidente honorário. A seguir chegou Filipe Jacinto Nyusi e esposa, bastante ovacionados pela plêiade de apoiantes, entre membros e simpatizantes do partido do batuque e maçaroca.

Armando Guebuza e esposa chegaram pouco tempo depois colocando a festa ao rubro.

Faltavam escassos minutos para a leitura do acórdão pelo Conselho Constitucional. Guebuza e Nyusi rumaram para a sala da Comissão Politica do partido, onde durante horas permaneceram, calmamente, na escuta da validação dos resultados eleitorais.

No final da cerimónia na “Joaquim Chissano” era notória a alegria de Guebuza e Nyusi , figuras que já desenham uma transição assente numa linha de continuidade dos anseios da Frelimo e da maioria do povo moçambicano.

No discurso de vitória, o actual estadista moçambicano começou com um vibrante “Camarada Nyusi na Ponta Vermelha oyééé!!!”, exprimindo, logo a seguir, o sentimento de solidariedade com as vítimas das chuvas e ventania fortes que assolaram a população moçambicana nos últimos tempos. “A solidariedade é fundamental para o reforço da nossa unidade”, sublinhou.

A seguir veio o canto da vitória, assente numa Frelimo classificada pelo estadista como forte e invencível. “Nós somos fortes e vencemos”, referiu Guebuza perante a ovação de simpatizantes e militantes.

O Chefe do Estado lembrou aos presentes que haverá gente que só verá coisas erradas. “É tarefa deles. Nós vamos continuar a trabalhar para somar vitórias e trazer felicidade ao nosso povo”, frisou.

Outros quadros seniores do “batuque e maçaroca” falaram igualmente da Vitória de Nyusi. Para Hermenegildo Infante, Primeiro Secretário da Frelimo na cidade de Maputo, a vitória da Frelimo e do seu candidato traduz o trabalho desenvolvido desde a pré-campanha eleitoral e é corolário da camaradagem e entrega abnegada.

Eliseu Machava, Secretário-geral da Frelimo, recordou aos circunstantes que para a Frelimo alcançar a vitória teve uma direcção forte e militantes convictos.

Desenvolvemos melhor todos estes posicionamentos em depoimentos que reproduzimos a seguir.

Vitória do Nyusi consolida

democracia em Moçambique

-Luísa Diogo

Luísa Diogo, membro do partido Frelimo e antiga Primeira-ministra, disse que a vitória do Filipe Nyusi e da Frelimo demonstra a consolidação da democracia multipartidária em Moçambique.

Como membro da Frelimo estou muito feliz por ver que o povo moçambicano confiou os próximos cinco anos à Frelimo. Nyusi tem experiência na governação. É uma pessoa que conhece o país, nas suas diferentes vertentes. Os moçambicanos já o viram a governar, então tudo isso traz consigo uma grande confiança que o povo manifestou”, disse.

A antiga Primeira-ministra disse ainda que o Presidente eleito traz já consigo a confiança que ele próprio conquistou com os trabalhos já realizados durante a sua acção governativa.

Confio que vai dirigir este país de maneira correcta. Como garantiu-nos durante a sua campanha que vai formar uma governação de inclusão numa abordagem mais abrangente e não linear”, sublinhou.

Nyusi vai dinamizar

crescimento do país

-Conceita Sortane

Conceita Sortane, membro do partido Frelimo, disse que o Presidente eleito, Filipe Nyusi, vai dinamizar o desenvolvimento do país no melhoramento na vida social e económica.

 “Do presidente eleito espero muita coisa boa, porque durante o seu manifesto na campanha eleitoral garantia que nada vai parar; vai continuar a desenvolver Moçambique, criará oportunidades para todos e vai formar uma governação participativa e inclusiva onde todos ”, sublinhou.

Num outro desenvolvimento, Sortane disse que espera que as mulheres continuem a enveredar no desenvolvimento do país, uma vez que elas têm um papel importante na área social.

 ConceitaSortane caracterizou como uma aberração as mensagens que o líder da Renamo, Afonso Dlhakama, propala pelas províncias. “Não vamos fazer juízo de valor sobre ele. Ele sabe o que diz e o que faz. Nós apenas só queremos fazer com que Moçambique avance”, apontou.

Para os candidatos derrotados Sortante disse que “têm que aceitar os resultados e se conformarem com a derrota .

A vitória da Frelimo

é fruto da confiança do povo

Eliseu Machava

O Secretário-Geral da Frelimo, Eliseu Machava, considera que a vitória desta formação política, e do seu candidato, Filipe Nyusi, nas eleições gerais de 15 de Outubro, é fruto da sua grande capacidade de organização, bem como da confiança que o povo depositou no partido poder em Moçambique.
Machava falava semana finda, em Maputo, na Sede Nacional do partido Frelimo, perante mais de uma centena de simpatizantes da Frelimo, que se juntaram no local para festejar a validação das eleições de 15 de Outubro, pelo Conselho Constitucional (CC).

Quando se tocou o apito, dando conta do início da campanha, a Frelimo, activa e organizada, começou a trabalhar. E alguém dizia que provocaram a Frelimo, que abriu todas as suas comportas”, disse Machava.

Durante a sua intervenção, o secretário-geral da Frelimo acrescentou que foi também pela confiança que o povo tem na Frelimo que esta, juntamente com o seu candidato, venceu as eleições. “A população, que confia no nosso partido, trouxe de novo a vitória”, frisou.

Fotos de Inácio Pereira e Carlos Uqueio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo