Política

Cidadãos avaliam votação

Cidadãos ouvidos pelo domingo defendem que a votação de 15 de Outubro foi bastante concorrida e decorreu dentro da normalidade, não obstante a ocorrência de alguns incidentes isolados em diferentes pontos do país. Entendem que os resultados que estão a ser difundidos pelos órgãos de comunicação social e que dão vantagem à Frelimo e ao seu candidato presidencial não são surpreendentes e mostram o trabalho desenvolvido por esta formação política, perante uma oposição inoperante e desestruturada Eis os excertos da opinião dos entrevistados:

Processo mais observado

– Celestino Gimo, funcionário público

Celestino Gimo considera que as eleições de terça-feira foram as melhores dos últimos anos, sobretudo no que diz respeito à participação.

Para o entrevistado, os resultados que têm vindo a ser divulgados não são surpreendentes e têm a ver com a forma como cada um dos partidos se entregou ao trabalho.

“Estas foram as eleições mais observadas na história da nossa democracia, com mais de 41 mil observadores, com destaque para a missão da União Europeia, que já afirmou que o processo foi pacífico, não obstante alguns incidentes de pequena monta que não interferem nos resultados”, observou.

Destacou que pela primeira vez não se estão a registar as habituais reclamações de falta de pagamento de subsídios aos membros das mesas de votação.

A desorganização tem o seu preço

– Lolita Moyane, empregada doméstica

Por sua vez, Lolita Moyane classificou a votação de terça-feira como tendo sido pacífica. Para ela, ganhou o candidato e o partido que sempre se preocuparam com os moçambicanos.

Acrescentou que a oposição está a pagar o preço da desorganização interna.

“Os eleitores deram mais uma vez voto de confiança à Frelimo e ao seu candidato, também por causa da confusão que se instalou na Renamo e no MDM. Se ganhasse um destes partidos o país regrediria”. Leia mais…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo