Opinião

Um 2022 de esperança

O ano que ontem começou deve ser de esperança para Moçambique e para os moçambicanos, porquanto, acredito, não tem como ser pior que 2021, nem 2020, embora seja também de muitos desafios.

Entre os desafios se pode destacar dois, nomeadamente a necessidade de consolidar as conquistas de 2021, primeiro em relação ao combate ao terrorismo que assola alguns distritos mais a Norte de Cabo Delgado e, em segundo lugar, o aprimoramento das medidas de controlo da propagação da covid-19.

Felizmente, no tocante ao terrorismo, os moçambicanos se devem orgulhar pelo facto de as Forças de Defesa e Segurança (FDS) de Moçambique com ajuda dos contingentes da da SADC e do Ruanda terem logrado vitórias que se traduziram sobretudo na reconquista de algumas sedes distritais que estavam sob controlo do inimigo, relançando desta feita a economia.

Graças aos avanços conseguidos no terreno, aos poucos a população está a retornar às suas zonas de origem e, quiçá, às actividades de sobrevivência, o que aliado ao anunciado plano de reconstrução da província, irá, acredito, devolver os níveis de confiança dos investidores em relação ao país. Leia mais…

Texto de António Mondlhane
antonio.mondlane@snoticias.co.mz

Artigos Relacionados

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo