Opinião

Reacção positiva ou exemplo a seguir

São poucos os casos de reacção positiva por parte dos responsáveis do Governo aos mais diversos níveis às notícias que denunciam ou alertam para qualquer facto que, na óptica do jornalista, anda mal. Normalmente, os responsáveis reagem mal a esse tipo de notícias, acusando os jornalistas de estarem a agir de má-fé, fazendo tempestade em copo de água. Correm sempre em defesa dos visados pelas denúncias, condenando os jornalistas, aos quais inclusivamente se chama de agentes do inimigo que querem travar a marcha do processo de desenvolvimento.

Apenas para dar um exemplo. Passou-se comigo. Corria o ano de 1984. Zambézia era flagelada pela guerra de desestabilização. Deflagra um incêndio de grandes proporções no armazem de copra da Enacomo, arredores da cidade de Quelimane, próximo do campo de futebol do Clube Ferroviário. Embora os bombeiros, com os seus parcos meios, estivessem a fazer de tudo para debelar as chamas, que teimavam em continuar, pois o óleo que a copra produz trazia mais chamas, quando os homens da paz, com o seu único carro, faziam o percurso para trazer mais água. Três dias depois, escrevo uma notícia relatando o acontecido e qual não é o meu espanto quando sou chamado ao Governo Provincial da Zambézia, na presença de grande parte dos directores, para ser acusado de ter divulgado um “segredo do Estado”. Leia mais…

Por António Barros

Artigos Relacionados

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo