Opinião

Paz, a nossa cultura!

A música tem um grau de importância muito elevado na sociedade. Infelizmente, muitas vezes ela passa despercebida. – Wagner’d Rock

Outubro é o mês da Paz. Em 1992, em Roma, Joaquim Chissano e Afonso Dhlakama, representando o Governo e a Renamo, respectivamente, assinaram o Acordo Geral de Paz (AGP) que pôs fim a um conflito que se arrastou por 16 anos e ceifou a vida a mais de um milhão de pessoas.

Aquele ano, por assim dizer, separou as águas. Uma nova página abria-se para os martirizados moçambicanos que “corriam ao encontro das suas paixões”, dizendo “sim à paz, sim à vida” e “cantando amor, mesmo sem mansões”.

Foi exactamente por essas alturas que um grupo de artistas decidiu então juntar-se e fazer uma das mais bonitas canções do nosso imaginário colectivo. “Todos Pela Paz”. Afinal é a arte perfeita que exprime os sentimentos dos seres imperfeitos. A canção, captada pelo saudoso técnico de som Fernando Azevedo, com letra de Tomás Moyana, música de Zé Barata, arranjos de Hortêncio Langa e Stewart Sukuma, teve o condão de nos fazer sonhar com um mundo melhor. Leia mais…

Por Belmiro Adamugy
belmiro.admugy@snoticias.co.mz

Artigos Relacionados

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo