Opinião

Filipe Nyusi e partido Frelimo na hora da consagração

Enquanto a Nacão moçambicana se regozija com a validação pelo CC da vitória eleitoral de Filipe Nyusi e do partido Frelimo,os adversários do partido, entre eles a Renamo, o MDM e os ultracolonialistas, sediados em Lisboa amarelam de raiva.

Afonso Dlhakama usando da má fé e a falta de carácter que o caracterizam, tentou com os seus incitamentos à violência, de forma sorrateira, pressionar o CC,  ensombrar o momento, sem contudo lograr os seus intentos.

A decisão do CC surge  natural e soberana, no quadro da sua missão, baseando-se na restrita observância da Constituição, e uma afirmação de afoiteza, ante pressão e ameaças da parte da Renamo.

Acredito na democracia por este ter sido a opção escolhida de gerir as diferenças, conquanto membros da família política representativa de quadrantes políticos e ideológicos diferenciados, em obediência na constituição, e nos orgãos de soberania, como pilares da soberania da república.Não me identifico com aqueles que só se aproximam do Estado quando se trata de acomodar interesses  de sobrevivência politica, ou instrumentalizados, de forma irresponsável por interesses inconfessáveis; muito menos com aqueles que quando perdem eleições chamam ladrões a parceiros políticos, ofendem as instituições, e chantageam o Estado de recorrer a  violência senão lhe fizerem a vontade.Somos um país de leis e é  dentro da Lei que nos situamos.A Renamo apenas lhe resta reconhecer o seu fracasso, nas Eleições Presidenciais, Legislativas, e das Assembleias Provinciais de 15 de Outubro.

O projecto de governação do partido Frelimo vai ter continuidade  sob a liderança de Filipe Nyusi, como mais uma etapa consagrada à luta contra a pobreza.Efectivamente o ideal nacional assenta no patriotismo, e na esperança de que o melhor alcançado até aqui ter sido mera etapa no processo , e o que está para vir, fase avançada no projecto, alavancado na capacitação e maximização do melhor em cada um de nós.A atitude deve ser premiada.Lembro aqui que só unidos e capacitados conseguimos vencer o colonialismo, ajudar a derrubar o apartheid, assim como unidos e capacitados  fomos alcançando  as metas de desenvolvimento traçadas  com as políticas macro económicas do governo de Armando Guebuza.

Com Filipe Jacinto Nyusi como timoneiro,  esperamos dar continuidade a  estrada, animados pelo saber adquirido e experiência de governação, afinal o partido Frelimo é um partido da governação desde 1975.Com a democracia multipartidária o partido  Frelimo consolidou, e expandiu as suas bases num combate de valores, ética  e princípios, que os militantes do partido assumidamente foram enquadrando, numa perspectiva positiva,face aos desafios inerentes à época.O combate político deve ser contínuo tendo em conta a subversão implantada, com recurso à pasquins das mentiras, e confusão da opinião pública, ao serviço da oposição política, no intuito de ganhar mentes despreparadas, com especial focus em desalinhar a juventude, levando-a à dependência material estrangeira, fora dos padrões da moral e do ideal patriótico.

40 anos depois da independência os adversários da soberania nacional, aliados aos adversários internos do partido Frelimo, continuam norteados pelo ideal de um dia tirar o partido Frelimo do poder, controlar Moçambique, manter os moçambicanos na pobreza, enquanto a riqueza iria parar nos bolsos de elites estrangeiras;o tal racionalismo que levou a escravatura dos negros ao colonialismo de que alguns se orgulham, ao propôr caminhos pouco ortodoxos, para alcançar determinados fins.Um orgulho baseado no historial de exploração e dominação dos  povos.A despeito dos 500 anos de exploração das nossas riquezas, continuam considerando que o africano deve ter uma democracia limitada, sempre sujeita à sua vigilância, com os recursos naturais ao alcançe das suas mãos.

A consagração de Filipe Nyusi é a consagração do ideal  moçambicano devotado à luta contra a pobreza, entrelaçados na unidade que ancoram os cidadãos da Pátria amada. Não concordamos, mas respeitamos o  conteúdo da narrativa, que nos opõe aos adversários políticos, somos democratas, e vivemos em democracia.Contudo devemos ser políticamente acultilantes no combate às assimetrias regionais,contra cinismo dos ultra colonialistas, e dos seus agentes tribalistas e regionalistas, e as ideologias de ódio, que violam os direitos humanos, e enfraquecem a unidade nacional.Mas nenhum ano será novo se cometermos os mesmo erros  em permitir que Afonso Dlhakama e a Renamo, continuem a  desrespeitar e desafiar as instituições do poder constituido em Moçambique.Foi com sacrifício, que alcançamos esta etapa, e por mais cinco anos ao lado do presidente Filipe Jacinto Nyusi, esperamos dar outro passo adiante, rumo ao que nos propomos, desde o início da luta de libertação:Uma pátria livre, próspera,solidária e inclusiva, onde a dignidade, justiça social e económica, seja abrangente a todo o cidadão nacional.

Bem haja senhor presidente Filipe Nyusi

Festas Felizes 

PS. Como autor do texto reservo-me no direito de não permitir que o texto seja reproduzido na rede social, na ferramenta de busca google por qualquer blog que nao seja o jornal domingo 

Inácio Natividade

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo