Opinião

DOS GANANCIOSOS E DOS VALORES ESPIRITUAIS DA VIDA

Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois apenas como neblina que aparece por instante e logo dissipa” Tg 4:14

 

É muito triste vivermos num mundo em que osGananciosos é que comandam as nossas vidas. Se ao menos fossem menos gananciosos e invejosos, o mundo seria um lugar muito melhor e a humanidade estaria bem mais segura. Uma vez, perguntaram a Dalai Lama, líder espiritual tibetano e Prémio Nobel da Paz de 1989, em reconhecimento à sua campanha pacifista para acabar com a dominação chinesa no Tibet, oque mais o surpreendia na Humanidade, e ele respondeu: “Os homens… Porque perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde…Porque pensam ansiosamente no futuro e, por isso, esquecem-se do presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente, nem o futuro…E porque vivem como se nunca fossem morrer e morrem como se nunca tivessem vivido!” Com efeito, temos muitos exemplos de Gananciosos que nos atazanaram a vida durante a sua efémera existência entre nós, mas que, após a sua ida ao”Diabo que os carregue”, ninguém mais lembrou-se deles. Muito a propósito dos Gananciosos, não resisto transcrever hoje um velho conto, intitulado “NÃO ESQUEÇA DO PRINCIPAL”.O Conto é tão velho como o próprio mundo, mas que se mantém actual. Tendo a sua origem na Ásia, não obstante, assenta como uma luva na vidados nossos Gananciosos Moçambicanos de hoje. Ei-lo ele: “NÃO ESQUEÇA DO PRINCIPAL – Conta a lenda que certa mulher pobre, com uma criança no colo, passou diante de uma caverna e escutou uma voz misteriosa que lá de dentro lhe dizia: – Podes levar o que quiseres, mas tens apenas 10 minutos para o fazer, depois disso a porta da gruta fecha-se para sempre e nunca mais se abrirá. Portanto, aproveite a oportunidade, mas não se esqueça do principal…A mulher entrou na caverna e encontrou muitas riquezas. Fascinada pelo ouro e pelas jóias, colocou a criança no chão e começou a juntar, ansiosamente, tudo o que podia no seu avental.
A voz misteriosa falou novamente: – Tens apenas 5 minutos para sair da gruta e levar contigo todo o ouro que conseguires. Esgotado o tempo, a mulher corre para fora da gruta completamente carregada de ouro. A porta da gruta fecha-se, ela agora estava rica! Foi neste momento que ela olhou para os lados e lembrou-se que a criança tinha ficado e a porta estava fechada para sempre! Apavorada volta-se para a gruta e se depara com uma pedra gigante a tapar a entrada e ouve novamente a voz misteriosa: – A tua ganância e a tua avareza falaram mais alto, apenas pensaste em ti e agora a riqueza material que levaste contigo de nada te serve, pois o teu desespero será eterno! O mesmo acontece, por vezes, connosco. Temos cerca de oitenta anos para viver, neste mundo, e uma voz sempre nos adverte: "Não esqueça do principal!" E o principal são os valores espirituais, a vida, as amizades, o amor! Mas a ganância, a riqueza, os prazeres materiais nos fascinam tanto que o principal vai ficando sempre de lado. Assim, esgotamos o nosso tempo aqui e deixamos de lado o essencial: "os tesouros da alma!" Que jamais nos esqueçamos de que a vida, neste mundo, passa breve e que a morte chega inesperadamente. E, quando a porta desta vida se fechar para nós, de nada valerão as lamentações. Não nos esqueçamos do principal!”
Espero muito sinceramente que após a leitura deste conto, parem e reflictam no que lhes reserva o futuro tão breve que se aproxima. AMEM!

Kandiyane Wa Matuva Kandiya
nyangatane@gmail.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo