Opinião

DE QUANDO A FRELIMO AYINA MWUISHO

“Quem tem ouvidos para ouvir, oiça” Mt 13:9; Mc 4:9-23; Lc 14:35

 

Hoje, a Comunidade Cristã, (por sinal a maior do Planeta), está em festa. É um domingo especial. Domingo da Páscoa da Ressurreição. Um domingo que há mais de dois mil anos vem modificando 

e moldando a vida duma boa parte da população do mundo. (Conforme estatísticas do Sítio “Origem, Sociedade e Destino”, estima-se que o número actual de Cristãosseja de cerca de dois bilhões, o que corresponde a 1/3 da humanidade).Por isso, as crónicas, editoriais, homilias e outros discursos de todos os líderes, nos Jornais, nas Mesquitas, nas Igrejas e nos Templos hoje deveriam incidir e reflectir a Paz. Deveriam usar uma linguagem moderada, refinada e purificada, uma linguagem que seja o espelho dos seus corações lavados pela comemoração da Ressurreição de Cristo. Uma linguagem que transmita amor.O amor ao próximo que entra na mente através de palavras impulsionadas por esse sentimento nobre: Amor! Amor que chegaaté ao coração, onde fica gravado com ponta de diamante.Porque a Páscoa ou “pesah”, emhebraico, traduzida para português,significapassagemou passar por cima,pular além da marca ou passar sobre.Portanto,Páscoa é o sinónimo do enterrar de ódios, invejas e demais amarguras que apoquentam a alma humana. O Povo Judeu do tempo do Patriarca Moisés depois de quatrocentos anos de escravatura no Egipto, atravessou o Mar Vermelho a pé enxuto, e,passou então a celebrar aPáscoa comemorando a saída – e a forma como saiu- do Egipto. Enterrou a condição de escravo. A partir de Jesus, a celebração da Páscoa foi substituída pela Ceia do Senhor, com o pão e o vinho, em Sua memória.Votos pois para que todos nós façamos um esforço de “nascermos de novo” neste domingo de Páscoa. Congratulações a todos os que conseguirem livrar-se dos seus traumas e dos fantasmas. Todos nós temos consciência da existência de pessoas que até que a cova lhes engula, jamais saberão o que é Paz nos seus corações. São pessoas que carregam consigo toneladas de ódios, desilusões e desenganos que nunca conseguiram experimentar nem desenvolver o sabor do amor ao próximo e do bom humor. São pessoas que estão sempre de cenho franzido. Mal-humoradas. Cronicamente descontentes, sofredoras. Quantas vezes não pensaram em inventar um Sol e uma Lua novos. À moda delas. Porque acham que o Arquitecto do Universo deveria tê-los feitos Quadrados ou de forma Triangular. Todos nós conhecemos cronistas estropiados e magoados, que só podem escrever quando se trata de aviltar, vilipendiar ou insultar. Mais concretamente, conhecemos vários (e eles também se conhecem e se reconhecem neste momento que me lêem) que, noite e dia meditam como e o que escrever de mal sobre e contra aFRELIMO. São Escrevinhadores que juraram pelos intestinos das suas barrigas que, só deixariam de escrever mal sobre aFRELIMO e seus membros e simpatizantes depois que os mesmos (intestinos), sirvam de guloseima aos vermes. Esses desgraçados, são os postilhões, os pregoeiros, os arautos ou porta-vozes se quisermos, daqueles que se julgam serem as únicas pessoas bem esclarecidas e rectas no mundo. Dizem conhecer várias FRELIMOS. Desgraçados! A esse respeito, o Presidente do Partido FRELIMO, deixou bem claro no seu discurso de abertura da II Sessão do CC terminada há setes dias que, cito: “A FRELIMO tem estado a adequar as suas estratégias e tácticas, em resultado das análises clarividentes dos seus membros, colectivamente partilhadas dentro dos órgãos, sobre o contexto nacional e internacional em cada etapa histórica. Tem estado a realizar estas mudanças operacionais:

vmantendo inalterada a sua essência;

vpreservando o seu sistema de valores; e

vconstantemente cristalizando a sua matriz identitária”.

Fim da citação. Agora essas outras FRELIMOS, da criação das suas cabeças doentias, só servem a eles. Raça de Víboras diria Cristo. Neste momento estão preocupadíssimos em querer saber o substituto do Presidente Guebuza, o mais depressa possível. Pergunto eu, afinal qual é a razão fundamental desta preocupação!? Querem enfeitiçá-lo!? (mu lava ku mu loya?). Podem estar certos de uma coisa, em momento próprio o saberão e nunca será do vosso agrado. FRELIMO ayina mwuisho. E, como acrescentou o Presidente de todos os Moçambicanos, ela (FRELIMO) é impoluta, (gostei muito deste termo), isto é imaculada e virtuosa. FRELIMO Hoye!  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo