Opinião

COMO SANEAR A MOLÉSTIA CHAMADA «CHAPA CEM»

«…Atentai no que ouvis. Com a medida com que tiverdes medido vos medirão também e ainda se vos acrescentará…» Marcos 4:24

 

O Homem é um ser social. O ser capaz de viver isoladamente,                                      ou é um Deus ou é uma besta, mas não um ser humano." – Aristóteles

Não fosse acreditar no velho ditado que diz que «água mole em pedra dura, tanto bate até que fura»,querendo dizer que a persistência e a constância de algo tão suave e sem nenhuma dureza como a água pode fazer ceder até algo duro e imutável como uma pedra, eu não voltaria a tocar nesta matéria, porqueda última vez que abordei o assunto relativo ao comportamento dos motoristas que conduzem os chamados «Chapa 100», tinha me convencido que aquela seria a derradeira e irrevogável ocasião, ou seja que jamais voltaria a tocar nesse tema. Tristemente, enganei-me. Semana passada, aqui na cidade de Maputo, no Bairro Benfica (Bairro Jorge Dimitrov), aqueles mal­criados voltaram a protagonizar uma ceifa de vidas a inocentes, saindo como sempre eles ilesos o que não me deixou indiferente. Porque à medida que o tempo vai rolando o transporte vai sendo cada vez escasso, um verdadeiro «calcanhar de Aquiles», como sói dizer-se, por representar um grande perigo para a vida de quem viaja, e não só. O viajar ou deslocar-se de um lado para o outro usando como meio o tal dito «Chapa 100», quer-se dentro ou fora das zonas urbanas, virou uma verdadeira dor de cabeça, e promove aqueles indivíduos rudes, portanto invictos na sua péssima e lamentável conduta: MAL-EDUCADOS. E, em minha opinião a falta de educação é um dos piores males da actualidade.Os «Chapeiros», como também são conhecidos, comportam-se como anti-sociais, atitudes contrárias e prejudiciais à sociedade.Como consequência imediata desse comportamento, consideram-se Senhores da Estrada, invictos como disse atrás, não temem e nem obedecem a nenhuma Lei, portanto, conduzem e circulam a altas velocidades, fazem ultrapassagens e manobras perigosíssimas, não obedecem à lotação das viaturas, alguns conduzem bêbados o que coloca a vida de outros em risco, resultando naquilo que todos nós sabemos: mortes absolutamente evitáveis. Enfim são uma verdadeira moléstia, um flagelo do qual sem a intervenção de quem de direito, (DEVER), não se vislumbra o seu horizonte final. Várias vezes me perguntei se aqueles indivíduos seriam mesmo pessoas normais como qualquer um de nós, com família e ou amigos, e continuo até hoje sem resposta satisfatória, pois quando cruzo com eles e olho nos seus semblantes parecem ter sido feitos pelo mesmo molde, comportando-se como homens com corpos mortos que agem como pessoas; humanos mortos, sem alma, sem consciência e sem nenhum sentimento, apesar de aparentemente se comportarem como seres conscientes. Em suma, são uns «Zombies». Há quem corroborou com o meu raciocínio achando que esse meu pensamento não deve andar longe da verdade, pois segundo se diz, a maioria dos que conduzem tais viaturas, recorrem à magia negra, tendo uns protectores invisíveis, umas espécies de «anjos da guarda», representados por um bonequinho penduradono espelho lateral do lado esquerdo do veículo ou noutro sítio, geralmente um macaquinho! Donde, na maioria dos acidentes, os motoristas e os cobradores saírem incólumes. Perante as evidências, quem sou eu para duvidar daquilo que o CHITLANGO Filho do Chefe chamava de «Ciência dos Homens»!? Assim não sendo, como se justifica que um jovem Cobrador, imberbe, sujo e malcheiroso, de camiseta de mangas cavadas com os sovacos à mostra cheios de espuma, despenteado, dentes por escovar, convida uma senhora da idade da irmã, da mãe, algumas até da avó, para entrar no seu veiculo, para depois empurrá-la, sufocá-la com modos boçais de forma a caber num banco feito para duas pessoas mas onde se encontram já sentados três para com ela perfazer quatro! E a música!? De furar os tímpanos! Simplesmente traumatizante! Outras vezes encontramos aqueles desalmados, feitos Condutores dos chamados «Transportes Escolar». Desencartados! Então, que medidas para acabar com essa indisciplina generalizada dos «Chapeiros» e seus «congéneres»? Bom, quanto maior for a gravidade da situação (como está agora),
mais duras têm de a ser as medidas correctivas. Primeira Medida: Quem de direito, (DEVER), deve reassumir imediatamente a responsabilidade que tem perante o POVO, de garantir transporte seguro, não penhorar as nossas vidas nas mãos de qualquer MADJEMBENE, só porque tem dinheiro. Para tal, deve ter como uma das primeiríssimas prioridades senão a primeira, criar condições para que oPovo que o preferiu entre muitos, viaje seguro para onde quer que vá em condições humanas aceitáveis. Enquanto isso não acontece e como Segunda Medida: Sem ser necessário fazer campanhas, os Agentes da Lei e Ordem devem fiscalizar e verificar com rigor e seriedade se todos os Condutores de Chapa possuem Carteira Profissional e o estado da viatura, em caso negativo aplicar as devidas medidas correctivas; Terceira Medida: Os Agentes da Lei e Ordem, devem deixar de brincar de gato e rato, (Tom e Jerry), com os chapeiros, como se verifica agora em que o Chapeiro pára a cinquenta metros de distância do Agente, volta a correr para deixar algo com o Agente e de seguida retoma a marcha sem ninguém perceber de que se trata. Onde está escrito isso no Código de Estradas? Quarta Medida: Purgar (depurar) da Corporação, os Agentes comprometidos com a corrupção e que não conseguem superar-se e ou moldar-se à nova ordem, pois, felizmente a ACIPOL vem formando ou reciclando Agentes com mentalidade nova e Patriótica. Haja coragem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo