Opinião

A mulher que construiu à revelia do marido!

“E assim vos declaro marido e mulher, o que significa que entre vós segredo nenhum haverá, os planos e projectos serão pensados e implementados em comum”.

É esta a frase que geralmente ouvimos quando participamos em cerimónias de casamento civil. O representante do Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Relegiosos (o conservador), ao celebrar o matrimónio tem sempre o cuidado de dirigir estas palavras aos nubentes. Aliás, os conservadores rápidos nas contas até fazem questão de dizer que gostariam de no ano “x” ou “y” estar presentes na celebração das bodas de ouro. A minha introdução vem a propósito da história que pretendo partilhar. Trata-se de um casal de pessoas já crescidas, cujos anos de vivência após a troca de anéis estão nos trinta. Portanto, este ano celebram bodas de pérola, 30 anos.

O casal reside no distrito de Dondo, província de Sofala. O marido é engenheiro florestal e a mulher gestora de um restaurante. São pais de dois casais.

Acontece que, num belo dia, o marido (tratado por Manuel) recebeu uma chamada de um empreiteiro de construção a pedir adiantamento de 30% do valor que seria pago pela colocação da laje e parquê. Espantado, Manuel questionou ao empreiteiro: “Mas que laje? Eu não estou em construção?”.

O empreiteiro insistiu na cobrança, até que Manuel questionou bem para perceber o que se passava.  Leia mais…

Por Frederico Jamisse
frederico.jamisse@snoticicas.co.mz

Artigos Relacionados

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo