Opinião

DESENVOLVIMENTO MUNDIAL A DUAS VELOCIDADES

Eventos Desportivos aumentam lípido e nascimentos de crianças masculinas ou femininas.

A população feminina ultrapassa ligeiramente a de homens no continente africano. Estão a nascer mais mulheres do que homens e mulheres vivem mais tempo do que homens.

As razões para a longevidade das mulheres são muitas.

Alguns cientistas dizem que homens são genética e biologicamente fracos em relação as mulheres e por isso vivem menos.

Desde o surgimento do Homem na Terra tem havido guerras.

Tradicionalmente, homens vão as frentes de combate e alguns ficam carnes de canhão.

Mesmo com a emancipação da mulher, guerras são  maioritariamente feitas por homens, filhos de mulheres.

Entretanto, nove meses depois da África do Sul ter acolhido o Campeonato Mundial de Futebol em 2010, o primeiro na história do continente africano com 54 países, nasceram mais crianças do sexo masculino do que nos anteriores oito anos. As mulheres que se tornaram mães se filhos do sexo masculino conceberam em pleno período dos jogos da maior competição mundial de futebol.

Um estudo publicado na África do Sul fala de duas razões principais para o inédito:

– sul-africanos tiveram mais relações sexuais durante os jogos do Mundial.

– os pares faziam sexo emocionalmente satisfeitos com o evento.

Há uma percepção aparentemente científica de que quando as pessoas estão submetidas a pressão emocional relacionada com calamidades naturais, como terramotos e cheias ou inundações ou crises provocadas por Homens, como guerras ou ataques terroristas, mulheres nascem mais crianças do sexo feminino do que masculino.

Quando as pessoas estão menos pressionadas, fazem sexo relaxadas e nascem menos mulheres que homens.

Há muitos exemplos relacionados com eventos emocionais com impacto biológico usados nos estudo. Quando em 2003 a Nova Zelândia perdeu campeonato mundial de Râguebi frente a Austrália nasceram menos homens na Nova Zelândia.

Em 2006, houve mais nasceram mulheres na Alemanha na sequencia da realização do campeonato mundial de futebol, com registo de muitas crises cardíacas com homens quando a selecção germânica entrava em acção no retângulo de jogo.

Analisando historial emocional de campeonatos mundiais de futebol entre 1998 e 2010 pesquisadores dizem que crises cardíacas triplicaram no Brasil sempre q selecção nacional jogasse.

O desenvolvimento mundial a duas velocidades mostra que uma parte do planeta tem condições de recolher e analisar cientificamente dados sobre resultados de efeitos emocionais biológicos na cama, mas a outra passa completamente esquecida.

Moçambique, pátria amada e dos heróis da pobreza, acolheu pela primeira vez na sua história Jogos Africanos. Nove meses depois ninguém fez estudo para ver quantas crianças do sexo masculino ou feminino nasceram na Pérola do Indico com influencia da euforia do evento desportivo, que movimento jovens atletas de 54 países da Mãe África. São injustiças segas de desenvolvimento. (x)

Simião Ponguane

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos Relacionados

Veja Também
Fechar
Botão Voltar ao Topo