Nacional

Tudo apostos para o arranque do ano lectivo

 

Autoridades de Educação na província de Inhambane dizem estar a “arrumar” a casa para garantir o arranque do ano lectivo 2013 sem sobressaltos. 

 

No terreno, já se encontram técnicos da Direcção Provincial para auxiliar os distritos na preparação do arranque do ano lectivo, numa altura em que, prosseguem nas escolas da província as matriculas para os novos ingressos na primeira, sexta, oitava e décima primeira classes.

Na primeira classe, a província tinha como meta matricular 62 mil crianças, até 31 de Dezembro, tendo conseguido pouco mais de metade, cerca de 35 mil. Mas, com a prorrogação do processo, as autoridades de Educação estão optimistas quanto ao alcance do objectivo.

Aliás, há um trabalho em curso visando sensibilizar as comunidades através das lideranças na base, para matricularem todas as crianças com idade escolar, ou seja que completam seis anos.

Os resultados deste trabalho já estão a surtir algum efeito, com o movimento que caracteriza algumas escolas nos últimos dias desta semana. “Isto leva-nos a acreditar no alcance da meta” disse o porta-voz da Direcção Provincial de Educação, Francisco Wetimane.

Wetimane acrescentou que em relação às oitava e décima primeira classes serão matriculados mais de trinta e quatro mil alunos, um número que não cobre as necessidade, o que significa que perto de onze mil alunos não terão vagas.

Para permitir que estes discentes também estudem, as autoridades de Educação apelam os pais e ou encarregados de educação no sentido de apostarem no ensino à distancia, institutos de formação de professores e de formação técnica.

Em relação à sexta classe, o nosso entrevistado disse não haver problemas de vagas. Neste subsistema, a previsão é matricular trinta e oito mil e setecentos alunos.

A fonte fez saber que o livro de distribuição gratuita já se encontra em todos distritos da província decorrendo neste momento o processo de alocação pelas escolas.

“São quantidades suficientes para as classes iniciais, de modo a arrancarem com o ano lectivo sem sobressaltos”, indicou Francisco Wetimane lamentando algum défice quanto aos livros de reposição na sua maioria danificados pelas crianças.

A nossa fonte apela aos pais e ou encarregados de educação no sentido de se envolverem na conservação deste material didáctico como forma de garantir a sua durabilidade e servir para mais crianças.

Ainda para o arranque do ano lectivo, a província de Inhambane já lançou concursos para a contratação de professores para todos níveis.Na contratação de professores dá se primazia aos recém-graduados pelos institutos de formação e,  pelas instituições do ensino superior com a formação psicopedagógica.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo