Nacional

Trabalhadores da CRBC paralisam obras da “Maputo-Katembe”

Trabalhadores da empresa China Road and Bridge Corporation (CRBC), responsável pela construção da ponte Maputo-Katembe, paralisaram as actividades na manhã de ontem em protesto contra os baixos salários e contratos precários.

A greve foi organizada pelos serralheiros, pedreiros, operadores de máquinas, motoristas e mecânicos afectos ao estaleiro localizado na Rua das Estâncias.

Segundo o “Notícias”, entre as reivindicações consta a inobservância das regras de higiene e segurança no trabalho, a falta de seguro contra acidentes de trabalho e assistência médica e medicamentosa, da actualização da tabela salarial, clareza na definição do salário base e a diferenciação salarial para o mesmo tipo de trabalho entre outras irregularidades.

O não pagamento de horas extras, bem como a inexistência de contratos de trabalho escritos para alguns trabalhadores figuram na lista dos problemas levantados pela massa laboral. As acusações ao pessoal de furto de equipamento de protecção individual como pretexto para despedimentos, bem como a falta de clareza dos contratos fazem ainda parte das denúncias.

Uma equipa da Inspecção-Geral do Trabalho, do Ministério do Trabalho, Emprego e Segurança Social (MITESS), fez-se ao local às primeiras horas do dia a fim de interceder junto dos gestores da construtora e encontrar uma saída para o impasse. O Inspector-Geral adjunto no MITESS, Paulino Mutombene, disse que a CRBC aguardava pela decisão da empresa, em Beijing, a capital da China, para emitir o seu posicionamento, sendo que já se havia alcançado avanços significativos no diálogo.

Numa parte das reivindicações já se atingiu consensos e esperamos que haja solução a breve trecho. Já efectuámos um contacto com Beijing e pensamos que a resposta chegará a qualquer instante”, adiantou a fonte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo