Nacional

“Temos de conjugar experiências de governação”

– Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, por ocasião da palestra subordinada ao tema “Experiência de Governação”

O Presidente da República (PR), Filipe Jacinto Nyusi diz que é preciso educar a governação para que se torne mais científica e não simples esperteza sob o risco de os objectivos ou programas não serem atingidos.  

Filipe Nyusi falava numa palestra subordinada ao tema “Experiência de Governação” e sublinhou que uma instituição ou homem que trabalha sem uma base de funcionamento ou programa, “muitas vezes fica como se fosse um bombeiro que aparece numa situação e depois foge da agenda principal”.

O Chefe do Estado afirmou ainda que é nos encontros desta natureza em que se aprofundam os conhecimentos e adquirem-se experiências para o sucesso da governação e que no caso vertente é uma iniciativa que acontece passados 100 dias da sua governação.

“É uma forma directa e prética de dar a contribuição para a governação, para não estar numa fase em que sabendo que podemos contribuir estarmos na defensiva ou numa observação crítica e não no sentido de colaborar para o desenvolvimento”,disse o Presidente da República.

O Presidente da República disse ainda que o seu elenco está numa fase em que as coisas estão a acontecer e que não há uma governação típica ou modelo que seja melhor que outro, “mas em todo caso, na nossa perspectiva de atingirmos os objectivos que precisamos, é necessário conjugar as experiências e assim apurarmos exactamente o que é que podemos fazer e em que momento”.

Nesse contexto, indicou que há muitos modelos com sucesso e que no caso vertente foram escolhidas amostras de países como Malásia e Tanzânia que estão a dar passos gigantescos na sua governação.

“Tanzânia é um país que está perto de nós, tem quase que muita característica igual à nossa, mas está a dar passos em diferentes áreas do desenvolvimento económico-social, mesmo em termos de paz e estabilidade do próprio país. Portanto, achamos que é uma amostra que não foge muita da nossa realidade e pensamos que atingiu os níveis aceitáveis no mundo” disse Filipe Nyusi.

Para o Chefe do Estado, o principal objectivo da sua governação é criar o bem-estar dos moçambicanos.  “Moçambique vai celebrar este ano 40 anos da Independência Nacional e como podemos ver é um marco importantíssimo para reflectir donde viemos e para onde vamos e onde estamos, já que quarenta anos é uma idade suficiente para o homem compreender a que compasso ou velocidade estamos atingir o objectivo principal que é o bem-estar do nosso povo. Portanto, não são simples números ou a multiplicação de infra-estruturas, mas também a qualidade da vida dos moçambicanos”.

Por sua vez, Graça Machel, patrono da Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade (FDC) uma das organizações que partilhou os modelos de governação, disse que o importante era os membros do Executivo colherem ou tirar as ilações que acharem pertinentes para o sucesso da sua governação.

Participaram no encontro, membros do Conselho de Ministros, vice– ministros, governadores de algumas provinciais, administradores distritais, secretários permanentes, presidentes de alguns municípios, entre outros quadros da administração pública.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo