DestaqueNacional

Sempre privilegiei investimento

O réu António Carlos do Rosário declarou que enquanto exercia a função de director de Inteligência Económica no SISE privilegiava novos investimentos em Moçambique para facilitar o trabalho da contra-inteligência. 

“Como director da Inteligência Económica precisava de usar os activos sobre investimentos em Moçambique. Para além de gerar empregos, podia acomodar os meus homens nas suas acções”, explicou. 

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo