Nacional

Réu invoca problema de fadiga

No início do sétimo dia do seu interrogatório, o réu António Carlos do Rosário invocou problemas de fadiga, depois de sensivelmente 16 horas a responder ás perguntas do Ministério Público, como sucedeu  ontem em que os trabalhos só terminaria, às 2.00 horas de hoje.

Rosário disse ter consultado o médico pessoal que sugeriu que o ideal é que o interrogatório não passasse das 8 horas por dia.

No entanto, o juiz Efigénio Baptista já disse que a sessão poderá ir até às 19.00 horas.

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo