Nacional

Restauração do “Tunduro” na recta final

O Jardim Tunduro, um dos mais antigos da capital, começa a apresentar uma imagem diferente. Os processos de reabilitação e de restauração são mais notórios. A área de infra-estruturas está quase concluída, decorrendo neste momento a reposição de plantas.

As obras de reabilitação do Jardim Tunduro, que arrancaram em Outubro do ano passado, encontram-se numa fase avançada, tendo sido concluído o restauro de grande parte de infra-estruturas.

Com efeito já foram restauradas a Casa do Jardineiro, o Centro de Turismo e Investigação e os armazéns para a logística.

Domingo apurou que está igualmente implantada uma estufa menor destinada à recolha e tratamento de plantas, incluindo de novas espécies, podendo ainda ser efectuada a geminação e outros trabalhos investigativos.

Para além de infra-estruturas que atrás mencionamos, foi igualmente concluído o Centro Social para funcionários do Jardim Tunduro, sanitários, o coreto e o edifício da direcção e administração.

De acordo com Bruno Almeida, responsável pela obra, parte do edifício administrativo terá um espaço para a realização de trabalhos de investigação.

A fonte revelou ainda que pretende-se introduzir o Jardim Tunduro no mapa dos jardins botânicos de craveira internacional.

Durante a nossa visita ao “Tunduro”, notámos que está em fase conclusiva o trabalho de restauração da maior estufa que existe naquele recinto que funciona igualmente como “pulmão verde” da nossa urbe. A estátua, feita de porcelana, que se encontra no interior da estufa-mãe, está a ser cuidadosamente restaurada.

Os bancos do “Tunduro”, de uma maneira geral, já foram restaurados e recolocados ao longo das vias de circulação, cujo piso está a ser refeito em bloco-cimento, vulgo “pavet”. Foram igualmente restauradas as cinco pérgulas e as respectivas plantas trepadeiras.

Foi ainda recuperado naquele jardim o lago artificial, denominado “Lago dos Cisnes”, assim como o arco da entrada principal, cujo restauro, devido à especificidade do trabalho, envolveu um especialista em reabilitação de edifícios e ornamentação.

O muro de vedação do jardim foi complemente recuperado e, ao longo dos últimos dias, estavam a ser finalizados alguns detalhes, como são os casos da pintura da parede e das grades.

JARDINAGEM

O trabalho de jardinagem decorre em paralelo com a recuperação das espécies que existiam naquele jardim da capital.

A obra consiste, também, na colocação de novos tipos de plantas. Os terrenos onde será colocada a relva e espécies diversificadas de plantas para a ornamentação estão a ser preparados e espera-se que muito em breve este trabalho seja concluído.

Tal como soubemos no local, na estufa principal do jardim, que deverá acolher maior número de plantas, serão repostas espécies que existiam e novos tipos de plantas.

“ROSTO” DIFERENTE

PARA JARDIM DA CAPITAL

No final dos trabalhos, espera-se que o Jardim Tunduro apresente uma “cara” diferente, em função de diversas inovações que estão a ser levadas a cabo pela empresa CETA.

A principal inovação que importa destacar tem a ver com a criação de um acesso específico para portadores de deficiência física, do lado da Rua da Rádio, junto ao courtis de ténis.

Ainda em termos de inovação, foi criado um anfiteatro para aulas durante as visitas de estudo que muitos estabelecimentos de ensino poderão levar à cabo.

Outra não menos importante inovação tem a ver com a colocação de lâmpadas no piso de certos lugares, as quais, no período da noite, poderão iluminar as espécies ali existentes de modo a oferecer uma vista atractiva para os visitantes.

Apuramos igualmente que o caule seco de uma das árvores mais antigas será transformado numa obra de arte.

Espera-se, igualmente, que o repuxo situado próximo ao “Lago dos Cisnes” seja totalmente restaurado e volte a expelir água como meio de atracção para as pessoas que visitarem o “Tunduro”.

Do lado da Avenida Zedequias Manganhela, no quadro de uma parceria público-privada, será edificado um restaurante.

Refira-se que, a reabilitação do Jardim Tunduro representa um investimento de 160 milhões de meticais, através de uma parceria entre o Conselho Municipal de Maputo, a Vale Moçambique, os Caminhos de Ferro de Moçambique e o INATUR (Instituto Nacional de Turismo).

O Pátio das Deusas 

O Pátio das 4 Deusas está completamente reabilitado e será um dos locais de grande atracção do Jardim Tunduro .

A estatueta onde se encontram as quatro Deusas foi restaurada e o público poderá apreciar uma das obras de arte que constitui uma raridade no seio dos jardins ao nível da nossa urbe.

Tal como ficamos a saber, foram produzidas, no total,  seis peças contendo cada uma quatro Deusas.

Fotos de Inácio Pereira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo