Nacional

PRM está a trabalhar para esclarecer o rapto do grupo Mica

A Polícia da República de Moçambique, (PRM) está a trabalhar no sentido de esclarecer o caso de sequestro do familiar do proprietário do supermercado Premier Group Mica, ocorrido última segunda-feira na cidade de Maputo.

Falando ontem, em Maputo, durante o habitual briefing sobre as principais ocorrências da semana anterior, o representante do Porta-voz do Comando Geral da PRM, Orlando Mudumane, disse que até esta altura ainda não há nada a ser dito sobre o caso.

 “A polícia já tomou conhecimento do caso, mas, neste momento, não há nada importante a ser dito. Estamos a trabalhar para esclarecer o caso”, disse Mudumane.

 Entre outras ocorrências criminais, a PRM destaca o assalto de um camião no Inchope, província de central de Manica, que transportava boletins de voto, acto protagonizado por indivíduos ainda não identificados.

 Mudumane disse que os agentes da Polícia que acompanhavam o camião e o motorista encontram-se detidos para aferir quais terão sido as reais circunstâncias em que o camião foi assaltado.

As autoridades também desmantelaram quatro quadrilhas que se dedicavam ao roubo de viaturas e em estabelecimentos comerciais com recurso a armas de fogo.
Na posse das quatro quadrilhas foram apreendidas três armas de fogo do tipo pistola e 27 munições. Sete viaturas foram recuperadas e entregues aos legítimos proprietários”, acrescentou.

No mesmo período, a PRM desmantelou uma rede de caça furtiva composta por quatros indivíduos, dos quais três moçambicanos e um sul-africano.
A PRM registou, ainda, 127 casos criminais em todo o país. Em conexão com estes casos, 1,710 indivíduos foram detidos, dos quais 1.608 por violação de fronteiras, 11 por imigração ilegal e 91 por prática de diversos delitos comuns.

Idnórcio Muchanga

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo