Nacional

PRM desmantela quadrilha de assaltantes

A Polícia da República de Moçambique (PRM), na cidade de Chimoio, província de Manica, acaba de desmantelar uma quadrilha de assaltantes à residências e estabelecimentos comerciais na calada da noite donde retiravam vários bens.

Nas residências, os meliantes saqueavam aparelhagem sonora e informática, enquanto nas bancas fixas e outras unidades comerciais e tomavam de assalto bebidas alcoólica e cigarros. Para o efeito usavam catanas, martelos, alavancas e outros objectos para arrombar as portas e ameaçar suas vítimas.  

O grupo era composto por quatro indivíduos tidos como perigosos cadastrados que neste momento vê o sol aos quadradinho nas celas da 3ª Esquadra da PRM naquela cidade. Trata-se de Titos Zeca, de 24 anos de idade, Cândido Magueza, de 32, Jamal Martinho, 21 e Alberto Faustino, de 26 respectivamente, que actuavam com maior frequência nos bairros Vila Nova, Tambara dois, Chinfura, 25 de Junho, Bloco Nove, Nhamatasse, Cinco Fepom e 16 de Junho, arredores de Chimoio.

Durante a operação que culminou com a captura destes meliantes que também confessam o crime, a Polícia da República de Moçambique, recuperou vários bens, nomeadamente, computadores portáteis, plasmas, bebidas alcoólicas, elevadas quantidades maços de cigarros, aspiradores para limpeza de viaturas e sacos de adubo a granel. 

Tito Zeca, um dos assaltantes contou que participou no roubo a convite do seu amigo. Explicou que " meu amigo chegou em minha casa durante a noite. Disse-me para sairmos para uma casa onde tem muitos bens. Aceitei. Quando chegamos ele arrombou a janela e tirou um computador portátil e plasma. Deu-me para pegar. Recebei e saímos. Dia seguinte, vendemos as coisas. Foi quando a polícia veio a nossa procura. Quando fomos neutralizados mostramos onde vendemos as coisas e tudo foi recuperado. É a primeira vez que pratico tal crime. Não sei o que me aconteceu para aceitar tal convite. Penso que foi um diabo que havia posado em mim. Estou muito arrependido, disse Tito Zeca.

Por seu turno, Jamal Martinho, que também aceitou falar ao nosso jornal, referiu que não participou no assalto, simplesmente recebeu os produtos das mãos do seu amigo para vender. A entrega aconteceu numa noite. Depois de ter vendido foi capturado pela polícia. Este indivíduo não é primeira vez que é preso por roubo. Já caiu varias vezes nas malhas da polícia. Saiu da cadeia no mês passado onde esteve a cumprir uma pena de oito meses por assalto a residências. 

Entretanto, o comandante da 3ª Esquadra da Polícia da República de Moçambique em Chimoio, Gelindo Vumbuca, explicou que a neutralização destes indivíduos resulta dum trabalho que a corporação tem vindo a fazer em colaboração com a comunidade com objectivo essencial de repor a ordem e tranquilidade nos bairros da cidade de Chimoio. Aquele comandante referiu que o adubo a granel agora nas “mãos” da polícia havia sido roubado nos camiões nas Estrada Nacional Numero seis.

Durante a noite, os bandidos desfazem as lonas das viaturas de longo curso donde retiram elevadas quantidades de produtos que são, posteriormente, vendidos no mercado negro. Gelindo Vumbuca, foi mais longe ao afirmar que operações de “limpeza” irão continuar para devolver a calma e tranquilidade à população da zona de sua jurisdição e outras áreas circunvizinhas.   

Domingos Boaventura

mingoboav@yahoo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo