DestaqueNacional

Não faz sentido tratar Khessaujee como Rosário ou Gregório

No entender da advogada Alice Mabote, que apresenta as alegações finais na qualidade de mandatária judicial do réu Khessaujee Pulshand, o seu constituinte apenas fez a troca cambial de um montante não superior a 14 milhões de Meticais a favor da Africambios e não em seu benefício pessoal.
Nestes termos, afirma que este não pode ser responsabilizado por qualquer acto e, sobretudo, no mesmo patamar dos co-réus António Carlos do Rosário ou Gregório Leão que tiveram um papel determinante na contratação das Dividas não Declaradas.

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo