Nacional

Município reconhece o problema

O Presidente do Conselho Municipal de Lichinga, Augusto Boanamar Assique reconhece a existência do problema da falta de água potável naquela cidade. Explicou que 

o mesmo deriva do facto de o sistema de abastecimento de água estar obsoleto devido ao tempo de uso, pois data da década de 50.

Informou que as obras de reabilitação do sistema arrancaram em 2010 no quadro de um acordo com o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), que financia o processo.

Segundo Assique, a primeira fase consistiu na reabilitação do sistema, que, após a conclusão das obras, dez bairros do centro da cidade passaram a ter água canalizada. A segunda etapa passa pela resolução do problema do sistema de captação que precisa de um arranjo. “Nos bairros da zona alta, verificámos que há necessidade de recorrer a furos com depósitos elevados para que possamos fazer o abastecimento de água com gravidade nos bairros extensos”, frisou o presidente do município.         

Hugo Piter Botha é o privado que é elogiado pela população por ter colocado um sistema de abastecimento de água para os residentes de Cinco Nzinge. Ele disse que tal medida visou essencialmente minorar o sofrimento da população que está desprovida de água potável para o consumo.

Ajuntou que a iniciativa enquadra-se no âmbito da responsabilidade social que cada empreendimento económico deve ter na zona ou região onde se fixa, para ajudar a população local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo