Nacional

Itália vai formar engenheiros moçambicanos

A Associação de Mineração e Petróleo Italiano (Assomineraria) e a Universidade Eduardo Mondlane, assinaram, na segunda-feira passada, em Maputo, um protocolo de intenções visando a formação de engenheiros

moçambicanos na Itália.

Interessada em intensificar as relações económicas com o nosso País, uma missão empresarial italiana composta por 30 empresários do sector do “oil & gas” reuniu-se com parceiros moçambicanos, num encontro organizado pela CTA (Confederação das Associações Económicas de Moçambique), Centro de Promoção de Investimentos (CPI) e o Instituto de Gestão das Participações do Estado (IGEPE) para se inteirar das oportunidades de negócio decorrentes das recentes descobertas de gás natural na bacia do Rovuma.
Intervindo na ocasião, o presidente da CTA, Rogério Manuel, disse que “nos últimos anos, e como resultado de um longo processo de reformas que culminou com o estabelecimento de um quadro legal favorável ao investimento privado, temos estado a assistir à entrada de capitais internacionais interessados nas pesquisas e exploração de recursos minerais como gás, petróleo, carvão mineral areias pesadas, pedras preciosas, entre outros minérios”.
Com efeito – conforme sublinhou Rogério Manuel – a exploração em grande escala de carvão e gás natural já é uma realidade no País.
“Contudo, o potencial estabelecido pelas pesquisas recentes abre imensas oportunidades para a entrada de novos operadores na indústria mineira, com particular destaque para os hidrocarbonetos e serviços logísticos de transporte, mas também no processamento para o seu aproveitamento local”, indicou o presidente da CTA.
Por sua vez, o vice-ministro dos Recursos Minerais, Abdul Razak, referiu que “Moçambique foi, semana passada, considerado um país cumpridor da Iniciativa de Transparência da Indústria Extractiva, o que significa que durante o processo de implementação da iniciativa, Moçambique cumpriu na íntegra os critérios e princípios de validação de um país estabelecidos pelo Conselho de Administração da Iniciativa de Transparência da Indústria Extractiva”.
O governante disse ainda aos empresários italianos que foi, recentemente, aprovado pelo Governo moçambicano  o regulamento sobre o processo de assentamento resultante das actividades económicas: “Em certos sectores, principalmente na área mineira é necessário que muitas famílias sejam deslocadas dum local para outro, devido ao potencial mineiro duma determinada área, sendo necessário que este deslocamento se efectue de acordo com a cultura moçambicana e necessidades da população”, frisou Abdul Razak.
Refira-se que a missão empresarial italiana é promovida pela Confederação Geral da Indústria Italiana (Confindustria), em colaboração com a Federação italiana de empresas de engenharia e de instalações industriais e a Sociedade Italiana para as Empresas no Estrangeiro (SIMEST).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo